29.09.2014

RESENHA: Livros para os alunos de Hogwarts

Livros para os alunos de Hogwarts

ANIMAIS_FANTASTICOS_E_ONDE_HABITAM_1372564389BAnimais fantásticos & onde habitam
Autor: J. K. Rowling
País: Inglaterra
Editora: Rocco
Mais informações: Skoob
Sinopse: A acromântula é uma aranha monstruosa de oito olhos e dotada de fala humana, foi desenvolvida pelos bruxos para guardar suas casas ou tesouros… O basilisco, também chamado de rei das cobras, é verde-vivo e pode alcançar até quinze metros de comprimento. Sua criação foi declarada ilegal, desde a época medieval. O dragão é o animal mais mágico do mundo; seu couro, sangue, coração, fígado e chifre têm grandes propriedades ilusionistas.
Estas breves descrições são apenas uma amostra do que o leitor pode encontrar em Animais fantásticos & onde habitam, de J. K. Rowling, escrito sob o pseudônimo de Newt Scamander, e com prefácio do sábio Alvo Dumbledore. Ao livro, adotado pelos professores da Escola de Magia e Bruxaria de Hogwarts e considerado uma obra-prima, atribui-se a responsabilidade pelo bons resultados dos alunos nos exames de Trato das Criaturas Mágicas. E a obra não é recomendada só para estudantes. “Nenhuma casa bruxa está completa se não possuir um exemplar.” Trata-se de um guia com mais de 80 espécies de animais e seus respectivos hábitos, costumes e origem.

Este exemplar lançado no mundo dos trouxas (não-bruxos) é uma duplicata do Animais fantásticos & onde habitam de Harry Potter, editado, inclusive, com notas informativas que ele e seus amigos fizeram à margem das páginas. Segundo Scamander, Animais… já está em sua 52ª edição e esclarece, entre outras dúvidas, o significado de animal para a comunidade mágica; fornece sua classificação; a percepção dos trouxas sobre esses seres; ensina como e por que mantê-los ocultos em hábitats seguros, desobediência esta que incorre em multa; e faz um histórico das normas impostas pelo Departamento para Regulamentação e Controle das Criaturas Mágicas do Ministério da Magia, ao longo dos séculos, para preservar as feras fantásticas e assegurar aos bruxos o prazer de apreciar seus poderes e beleza.

A escritora escocesa J. K. Rowling cedeu todos os direitos de publicação desta obra para a Comic Relief, uma organização humanitária criada por comediantes britânicos para ajudar crianças carentes. Eles usam o riso para combater a pobreza, a injustiça e a calamidade.

Por exigência da autora, os nomes dos animais foram mantidos na Língua Inglesa, com a tradução entre parênteses.

Resenha: Precisa de resenha? Gente, muito amor cada linha dedicada a explicar os animais. E as anotações do Harry e do Rony é de cair da cadeira.

linha

QUADRIBOL_ATRAVES_DOS_SECULOS_1236631152BQuadribol através dos séculos
Autor: J. K. Rowling
País: Inglaterra
Editora: Rocco
Mais informações: Skoob
Sinopse: Se você algum dia quis saber como surgiu o pomo de ouro ou por que o time dos ‘Vagamundos de Wigtown’ (Wigtown Wanderers) tem a estampa de um cutelo de açougueiro no uniforme, você precisa ler ‘Quadribol através dos séculos’ (Quidditch throught the ages). Esta edição limitada é uma cópia do exemplar guardado na Biblioteca Escolar de Hogwarts e consultado por jovens fãs do quadribol quase diariamente.”A renda obtida na venda deste livro reverterá para o Comic Relief, que destinará o dinheiro ao seu trabalho de salvar vidas – um trabalho mais importante e mais surpreendente do que a segunda captura do pomo de ouro, em três segundos e meio, por ‘Rodrigo Plumpton’ (Roderick Plumpton), em 1921.Alvo Dumbledore”

Resenha: Realizei meu sonho adolescente comprando esse livro. Saber um pouco mais sobre as regras do quadribol ajudou muito a eu continuar desejando ter uma vassoura 🙁 Ah J.K, quanta criatividade <3

linha

OS_CONTOS_DE_BEEDLEN_O_BARDO_1237700399BOs contos de Beedle, O bardo
Autor: J. K. Rowling
País: Inglaterra
Editora: Rocco
Mais informações: Skoob
Sinopse: Os contos foram traduzidos das runas originais pela personagem Hermione, a partir do velho exemplar herdado por ela. São cinco histórias de fadas diferentes entre si. Histórias populares para jovens bruxos e bruxas, contadas há gerações aos filhos à hora de dormir. Pouco se sabe do passado de seu autor, apenas que Beedle, o Bardo, teria nascido em Yorkshire no século XV e possuía uma longa barba; mas suas histórias foram passadas de geração em geração e têm ajudado muitos pais bruxos. Não muito diferente dos contos escritos para pequenos trouxas.Enquanto nos livros dos trouxas ela está ligada ao comportamento errado, aqui ela está associada aos heróis e às heroínas que são capazes de realizar mágicas para ajudar os outros. Só que ao mesmo tempo bruxos e bruxas descobrem que esta mesma magia pode lhes causar dificuldades e nem sempre é a solução para todos os problemas. Assim como em alguns contos de fadas, as histórias de Beedle podem assustar criancinhas, mas, por outro lado, as inspiram a serem honestas e a usarem seus poderes para o bem, algo que Dumbledore ressalta a todo momento em suas anotações.A primeira das histórias, “O bruxo e o caldeirão saltitante”, tem como protagonista o filho de um bruxo muito bom que, após a morte do pai, decide não ajudar os outros como o pai o fazia; “A fonte da sorte” mostra a busca de três bruxas e um cavaleiro por uma fonte, cuja água concede boa sorte a todos aqueles que nela se banharem; em seguida, a mais assustadora das narrativas, “O coração peludo do mago”, sobre um velho bruxo incapaz de amar e uma donzela que em muito lembra as donzelas dos contos de fadas trouxas; antes da já conhecida “O conto dos três irmãos”, Rowling apresenta as aventuras da esperta “Babbity, a coelha, e seu toco gargalhante”.

Resenha: Não consigo fazer resenhas sobre nada escrito pela J.K, sério. É algo que me deixa sem palavras – mesmo eu sendo a de maior número delas. Como seria possível uma mente tão brilhante criar até histórias que são lidas para pequenos bruxos, assim como os trouxas tem seus contos de carochinha?

Translate »