16.03.2015

Freak Show: Carnivàle

Carnivàle 1

Sou uma amante dos Freak Show dos anos 30: pessoas com anomalias genéticas eram exploradas para trabalhar no circo e assim animar os dias de mineradores e jovens das cidades por onde os Canivàles passavam.

Comentei com um amigo sobre uma ideia de fazer tattoos no meu braço com essa temática e ele me indicou o seriado Carnivàle (que eram bem um circo com parque de diversões).

Carnivàle 2

Sinopse 1º Temporada(2003): As duas temporadas de Carnivàle se passam durante a Grande Depressão entre 1934 e 1935, e consistem em duas linhas de histórias que lentamente convergem. A primeira envolve um jovem com estranhos poderes de cura chamado Ben Hawkings, que se junta a um parque de diversões móvel quando ele passa por sua cidade, Milfay, Oklahoma. Pouco depois, Ben começa a ter sonhos surrealistas e visões, que o fazem ir procurar um homem chamado Henry Scudder, um homem que já havia cruzado o caminho do parque muitos anos antes, e que aparentemente possui habilidades incomuns como Ben.

Sinopse 2º Temporada(2005): A segunda linha de história envolve um pregador metodista chamado Irmão Justin Crowe, que vive com sua irmã Iris na Califórnia. Ele compartilha os sonhos proféticos de Ben e lentamente descobre a extensão de seus poderes, que inclui controlar homens e fazer com que seus pecados e temores se manifestem em terríveis visões. Convencido de estar fazendo o trabalho de Deus, o Irmão Justin dedica sua vida à suas obrigações religiosas, não percebendo que seu grande nêmesis, Ben Hawkings, está muito próximo.

Carnivàle 3

É uma série de roteiro sensacional, retrata de forma como nunca vi na TV o sobrenatural com drama humano! Mistura o místico com o Freak Show dos anos 30. A história poderia ser contada em pelo menos 6 temporadas, pena que foi cancelada na segunda e aí deixou umas pontas bagunçadas 🙁

Daniel Knauf concebeu o roteiro inicial para o show, entre 1990 e 1992, quando ele estava insatisfeito com o seu trabalho como um corretor de seguro de saúde da Califórnia e que esperava se tornar um roteirista. Ele sempre esteve interessado em circos itinerantes (Carnivàles) e observou que este assunto raramente tinha sido dramatizada no filme. A história resultante e seu tratamento de aberrações foi fortemente informado pelas experiências de Knauf de crescer com um pai com deficiência que não foi comumente aceita como um ser humano normal.

Gente, sério, escutem essa trilha sonora MA-RA-VI-LHO-SA criada por Jeff Beal.

Carnivàle 4

No primeiro episódio, Sampson, o anão gentil da foto acima, dita essas palavras:

“Antes do início, depois da grande guerra entre o Céu e o Inferno, Deus criou a Terra e a entregou ao engenhoso macaco chamado homem. E a cada geração nascia uma criatura de luz e uma criatura de trevas. E grandes exércitos se enfrentavam noite afora na antiga guerra entre o bem e o mal. Era um tempo de magia. Nobreza. E inimaginável crueldade. E foi assim até o dia em que um falso sol explodiu sobre a Trindade, e o homem trocou para sempre a maravilha pela razão.”

O ‘falso sol’ é uma alusão à explosão-teste da Bomba Atômica em Trindade em 1945. Este é mais um indicativo de que a série deveria, originalmente, cobrir um período maior de tempo – pelo menos de 1934 a 1945 – sendo que o cancelamento prematuro (por falta de audiência) limitou o arco de histórias.

Uma coisa que eu particularmente adoro nesta série é a magnífica reconstituição de época, um espetáculo a parte. Todo lugar é quente. Todo lugar é sujo. A poeira é quase um personagem fixo da série. Tudo perpassa um ar do mais absoluto desespero.

Carnivàle 5

E um plus: Tim DeKay sujo e lindo ♥

  • Gleicy Favacho em 16.03.2015

    Amo muito essa temática, não conhecia essa série! Pena que acabou. Esse ano faço 30 e estou pensando em fazer uma festa nesse estilo!

    Responder

  • Isabela Carapinheiro fevereiro 2nd, 2017

    Eu também gosto muito da temática!
    Espero por fotos da festa!

    Responder

Translate »