02.12.2015

Resenha: Juliette Society – Sasha Grey (+18)

Juliette Society Sasha GreyJuliette Society
Autor: Sasha Grey
Editora: LeYa
Mais informações: Skoob
Sinopse: Se eu te contasse que existe um clube secreto, cujos membros pertencem à classe mais poderosa da sociedade – banqueiros, milionários, magnatas da mídia, CEO’s, advogados, autoridades, traficantes de armas, militares condecorados, políticos, oficiais do governo e até mesmo o alto clero da Igreja Católica –, você acreditaria? 

Este clube se reúne sem regularidade, em um local secreto. Às vezes em locais distantes e às vezes escondidos. Mas jamais duas vezes no mesmo lugar. Normalmente, nem mesmo duas vezes no mesmo fuso horário. E esses encontros, essas pessoas… não vamos enrolar, vamos chamá-las do que são, os Mestres do Universo. Ou o Braço Executivo do Sistema Solar.

Então, essas pessoas, os Executivos, usam os encontros como uma válvula de escape do cansativo e estressante negócio de estragar ainda mais o mundo e criar novas maneiras sádicas e diabólicas de torturar, escravizar e empobrecer a população.

 E o que eles fazem em seu tempo livre, quando querem relaxar? 

Deveria ser óbvio. 

Eles fazem sexo.

Juliette Society Sasha Grey

Resenha: Assim que o livro saiu, eu corri para comprá-lo de presente para mim mesma, afinal… Sasha Grey é uma diva de filmes adultos – com aquela carinha de boa moça e que aguenta coisas impossíveis.

Comecei a leitura meio na dúvida se deveria mesmo levar a grande escritora á sério.

Digamos que a tal sociedade secreta que nomeou o livro seja só um pano de fundo para a autora desenrolar suas ideias eróticas. Sério! Eu fiquei esperando por alguma sociedade secreta mais bizarra que BDSM mas não.

Temos aqui uma fofa história de amor com sexo. Muito sexo. E é assim que Sasha Grey prende sua atenção.

Catherine, a personagem principal, é estudante de cinema então temos referencias que cinéfilos adorarão.

Um personagem chamado Kubrick filosofa lindamente:

” Não há um grande segredo, tudo que você precisa saber na vida é que todos precisam foder ou ser fodidos. É isso.”

Devorei o livro em 2 dias e 2 noites e achei que merecia uma maior abordagem nas tais sociedades secretas do que em detalhamento de sexo – até porque, na época que eu tinha fake, os turnos eróticos eram bem melhores…

Por outro lado, mesmo com todo preconceito acerca de Sasha Grey e por saber que existem revisores fazendo isso, ela tem uma boa narrativa, palavras bonitas e frases irônicas, porém reflexivas. E para por aí.

Translate »