18.08.2016

As artes feministas de JoannaThangiah

Fuçando o instagram, no começo do ano, encontrei a Joanna Thangiah, uma artista de Sydney, Austrália.

Eu não sabia de onde ela tinha saído ou como tinha começado a desenhar até que ela publicou, no instagram, um post dizendo ” Porque eu não desenho personagens magras” me chamou a atenção. @joannathangiah

joannathangiah

“Eu tive problemas com disturbio alimentar por quase 10 anos; as calças no meu guarda roupa eram de tamanhos 6-16(Australian).

Se você sofre de algum disturbio alimentar você saberá o quanto isso é ruim!

Isso não é sobre seu peso ou medidas, its negative impacto que existe no seu estado mental.  

A constante obcessão sobre comida, exercícios, e o que outras pessoas pensam sobre é tão debilitante!  

Eu tive problemas com isso e eu continuo a lidar problemas como deixar a casa porque eu odeio pessoas me olhando, eu pinto meu cabelo de roxo porque para mim é a razão do porque as pessoas me encara

Desde que comecei a ir para a terapia isso começou a aparentar que a maioria das pessoas na rua na verdade nem davam moral sobre eu ser gorda, mas a ansiedade ainda está lá mesmo mas tem diminuído.

No momento que eu me relaciono sobre ser magra com morrer de foma, minha mente racional sabe que nem todas as pessoas morrem de fome e que existem pessoas magras que são saudáveis, mas ter disturbio alimentar faz com que você seja irracional.

Eu venho me recpenrando pelos últimos dois anos e eu ganhei 20kg nesse período de tempo.

Eu estou feliz com o meu ganho de peso? Não mesmo mas eu sou a pessoa mais feliz que eu já fui em minha vida inteira e isso significa mais para mim do que como eu engordei.

Uma das outras razões que eu comecei a desenhar esses personagens era para me ajudar a me aceitar e amar a garota gorda que eu sou.

Eu tenho encontrado tanta inspiracional e amadas pessoas nessa jornada e eu estou tão agradecida e abençoada por fazer parte dessa comunidade.

Nesse momento, meu objetivo é ser saudável, mentalmente e psicológicamente.

Se eu quero perder peso? Sim, mas não como o custo da sanidade. Eu sei que eventualmente eu vou desenhar uma personagem magra mas antes disso a acontecer minha mentalidade tem que mudar e eu não sei em quanto tempo isso vai levar, tudo que eu posso dizer para vocês é que eu estou trabalhando nisso.  #feminism

@joannathangiahEu talvez possa não saber cozinhar mas eu estou certa pra caralho que eu posso comer!@joannathangiahTire todas as selfies que você quiser! Você merece se sentir fofa pra caralho. @joannathangiahNão gosta quando alguém da sua etnia namora alguém de fora da sua cultura? Tó aqui uma maquina, aproveite sua viagem de volta. @joannathangiahQueridos pais, ao invés de lamentar o comportamento dos seus filhos na cultura das celebridades, porque você não começa uma conversa aberta com eles? @joannathangiahSeria maravilhoso usar a roupa que você quiser sem ser sexualizada@joannathangiahHoje eu vou tentar e não ser insegura.@joannathangiahAs alegrias de não ser considerada para um emprego por causa do seu nome étnico. @joannathangiahNós devemos urgentemente parar de usar a palavra gordo como um insulto. 

Confesso que quando li essas palavras da Joanna, me encontrei muito no que ela vem passando, o que me fez criar esse post e dar mais suporte ao trabalho dela.

Além de vender os prints dos desenhos, ela tem algumas estampas bem legais (tipo um morango-vagina e uma banana-pênis) em alguns modelos de roupas na sua lojinha.  Quer conhecer a lojinha dela? Dá um olhada aqui.

BEDA 2016

 

  • Bianca em 18.08.2016

    Adorei o post! Eu também sofri muito por ser gordinha, me identifiquei com o que ela escreveu. Vou dar uma olhada no instagram e na loja dela.
    Beijos

    Responder

  • Carol Garcia em 18.08.2016

    Meu que trabalho incrivel! O mundo precisa aceitar que nem toda mulher usa 36, nem todo homem tem olho claro, nem todo mundo tem a mesma forma!

    Quando vejo trabalhos assim, penso e acredito mais que existem pessoas de verdade por ai!

    Beijos

    Responder

  • Amanda Torres em 18.08.2016

    Oooi! Tudo bem?

    Primeiro de tudo, ai que cantinho lindo! Amei essa arte da menina toda tatuada, maravilhosaaaa <3 sou viciada em Instagram, e sigo algumas contas relacionadas à arte, mas não conhecia essa. Achei incrível, ainda mais lendo a história dela e percebendo que ela realmente tem como objetivo empoderar todas as mulheres e fazer elas se sentirem bonitas, e não só posta esse estilo pra ganhar likes e bancar a politicamente correta. Vou seguir já!

    Beijinhos, te espero lá no http://amendoasefelpices.blogspot.com.br/

    Responder

  • hellz em 18.08.2016

    Oi bela

    “Se eu quero perder peso? Sim, mas não como o custo da sanidade”. Me identifiquei MUITO com essa parte. Antes eu sempre tentei perder peso, mas comprometia tanto a minha cabeça com isso que nunca conseguia. Não é justo com ninguém perder-se por causa disso.

    Não conhecia a artista, mas ela realmente merece toda atenção e destaque

    beijo
    beinghellz.com

    Responder

  • Isabela Carapinheiro outubro 2nd, 2016

    Acho que a mente vem primeiro nesse processo de perda de peso. Porque precisamos conectar várias informações antes de nos reeducarmos.

    Responder

Translate »