10.12.2016

Conto Natalino🎄 : A Garota e o Pardal 👧🐤

Photo credit: Lucas Lucas via Visualhunt / CC BY

A neve cobria tudo que se encontrava ao alcance dos olhos, refletindo as poucas horas de luz que o dia trazia na pequena vila de Verkaus. Mesmo com o vento gelado e frio, as aves não descansavam durante os meses congelados á procura de alimento.

Ao abrir os olhos e espreguiçar-se em sua cama quentinha, com a luz do dia entrando por sua janela, Annika pôde ver pela janela uma árvore com seus galhos cheios de neve. Seu pensamento foi logo levado aos pássaros da região, sem entender onde dormiam ou como conseguiam comida já que as frutinhas de verão estavam escondidas pela camada de gelo.

– O Natal é uma época tão feliz para as pessoas mas o que será dos passarinhos sem comidinhas e um ninho quentinho? 

Annika correu para a janela e ao abri-la, avistou o Pardal que costumava visita-la quase todas as manhãs. Um Pardal com uma manchinha castanha no peito que lembrava muito a cor dos cabelos do irmão mais novo. Esse que não estava mais morando com ela desde que foi levado á terra dos anjos por causa de uma doença que tinha um nome estranho e que fazia com que ele perdesse todos os fios de cabelo.

Voltou-se para sua escrivaninha, em que tinha um potinho com a maçã que comeu na noite anterior, retirou as sementinhas e levou-as até a janela, na esperança do pássaro vir para alimentar-se.

O Pardal voou até a mão da garotinha e após bicar o primeiro grão, um raio de luz encheu o quarto de alegria e a ave começou a falar:

-Em todas as manhãs em que te visitei, você não deixou de me dar alimento durante os dias frios. Este é o seu presente de Natal, a compaixão dos anjos de me deixar vir até você por saudades que tinha em meu peito e não podia mais conter. Sou eu, seu irmãozinho que retornou á Terra no corpo dessa ave. Vim para te agradecer pela bondade, por ter me protegido em vida humana e em vida animal. Não se esqueça nunca do real significado do Natal e que enquanto os anjos permitirem, virei te visitar e te lembrar de que um dia estivemos unidos em vida. 

A garotinha deixou o Pardal pousar em seu ombro, e em lágrimas de alegria, faz um leve carinho em sua penugem, prometendo silenciosamente em cumprir o desejo de seu irmãozinho.


Escrita por Isabela Carapinheiro Välimaa. Inspirada na canção finlandesa ” Varpunen jouluaamuna” .

  • Maiele Luz em 10.12.2016

    Bela faz isso nao, to aqui em lagrimas… que conto liiiindo, que delicadeza, que transparencia, que docura… voce escreve muito muito bem mesmo… ja pensou em depois fazer uma coletanea e publicar um livro de contos em portugues todo baseado na cultura finlandesa? ( lembrete para o futuro: se realizar esse projeto favor lembrar de me dar um autografo! ) Beijossss

    Responder

  • Isabela Carapinheiro dezembro 11th, 2016

    Ai que amor de comentário <3
    Eu meio que tinha pensado mas sua ideia me deu até uma motivação em fazê-lo <3 que linda você!
    Merecerá uma dedicatória também!

    Responder

  • Bruna em 10.12.2016

    Pra que isso? Eu arrepiei qd terminei de ler… lindo demais mas deu um misto de alegria, geniosidade e um pontinha de tristeza… vou ter de procurar a canção agora. Escreve mais assim, é lindo, mexe com a gente… vai ter livro mais pra frente *.* diz que vai! valeu pra refletir esse texto, dar mais valor a quem temos… beijos minha linda!

    Responder

  • Isabela Carapinheiro dezembro 23rd, 2016

    Prometo tentar escrever mais <3

    Responder

  • Marta Izabel em 10.12.2016

    Oi!!!
    Que conto mais lindo!! Fiquei muito emocionada!! É um conto maravilhoso!! Parabéns!!
    Beijoss

    Responder

Translate »