29.01.2017

Escotismo no Currículo ao buscar emprego

Uma pesquisa da consultoria Deloitte, feita em 2013, mostrou que quatro em cada cinco diretores de recursos humanos prestam bastante atenção nas experiências adquiridas em trabalho voluntário na hora de contratar.

Todo mundo passa por aquele momento que desiste de procurar algo na área em que se formou, seja por não ter se encontrado nessa profissão ou porque o mercado de trabalho não ajuda. Você acaba mandando seu currículo para toda proposta de emprego que tem em letras garrafais EXPERIÊNCIA NÃO EXIGIDA.

Acredito que os empregos que conquistei, nos últimos 8 anos trabalhando, 50% foram atingidos por causa daquele parágrafo de serviço voluntário e participação em Grupos Escoteiros.

Não porque as empresas estejam interessadas no meu nível de sobrevivência no caso de um apocalipse zumbi ou na construção de abrigos naturais mas porque a intenção do Escotismo é entregar para a sociedade uma pessoa prestativa.

Aqui vão algumas coisas que aprendi no Movimento Escoteiro e a importância de falar sobre o Escotismo no Currículo:

  •  Aprendi a trabalhar em equipe, assim como liderar e ser liderada;

Uma Tropa Escoteira não funciona sozinha! Dela dependemos dos jovens compromissados, das patrulhas ativas, dos chefes para a criação do plano de fundo da atividade. Ninguém monta o campo do acampamento ou cozinha sozinho. Se quiser comparar: Gestão de Projetos é bem parecida com o jeito Escoteiro de aprender.

  • Aprendi a honrar minhas palavras e cumpri-las;

Nunca consegui prometer algo que meu subconsciente soubesse que não faria, me deixava mal se eu me responsabilizasse com algo e não o fizesse. Eu aprendi a lidar com a comum falta de comprometimento e a me tornar – ainda como membro jovem – uma pessoa ética e que não vola atrás nas palavras.

  • Aprendi a abusar da minha criatividade, a criar todas possibilidades para situações inimagináveis;

Alguns dos jogos aplicados em atividades Escoteiras são para os jovens aprenderem a buscar formas inovadoras de resolver problemas. A barraca furou e está chovendo, o que fazer? Ou os jovens escolheram a temática Jogos Vorazes para o próximo desafio do Grupo e você, chefe, precisa programar uma atividade de um dia inteiro que contenha missões com percurso de Gilwell e nós.

  • Aprendi a ser legal e bondosa com todo mundo sem distinção, além de lutar contra injustiças;

Na maioria dos grupos existentes (seja Escoteiro ou de críticas literárias), não existea homogenia perfeita: crianças, jovens e adultos, de diferentes culturas e histórias fazem parte, tanto no Movimento Escoteiro quanto em uma empresa ou sala de aula. Ser legal e bondosa garante que a convivência entre os diferentes seres seja empática e harmoniosa. Aprendi a entender e praticar o meu melhor possível para melhorar o mundo em minha volta, a ser corajosa para enfrentar e resolver desafios, analisando as injustiças e atuando para resolvê-las na medida do que estiver ao meu alcance.

  • Aprendi a avaliar e definir metas, além de ser muito esforçada ;

Os Conselhos de Patrulhas e Corte de Honra existem para os jovens a definir suas metas tanto pessoais, quanto de equipe e depois realizar a sua auto avaliação assim como receber a avaliação dos demais. Empresas trabalham com metas, isso é fato, e só de lembrar que toda a Patrulha Pégasus queria conquistar a Especialidade de Babá Nível 3 e as 24 horas de serviço voluntário em uma creche do meu bairro faz lembrar como é correr atrás do que um grupo de amigas deseja alcançar juntas. Também aprendi a me virar sozinha porque nas atividades ou em acampamento não tinha pai nem mãe pra socorrer se alguma coisa que eu queria que fosse de um jeito, acontecesse de outra forma. E superei limitações que a vida inteira me foram privadas.


 

Quando fui fazer entrevista para trabalhar na loja Daiso, o Diretor da empresa ficou muito interessado no que aprendi no Escotismo pois ajudaria no meu dia a dia na loja como trabalhar em conjunto e ser simpática com os clientes, já que meu trabalho seria atendimento aos clientes, e não vendas, batalhando por comissões.

Mas se sua área é Contábeis, por exemplo, e você ajuda na contabilidade do Grupo Escoteiro é muito importante ressaltar isso na entrevista, mostrando que você vem exercendo o que aprendeu na faculdade. (Acreditem, em um Grupo Escoteiro tem áreas para todo tipo de voluntário: cozinheira, enfermeiro, contador, recursos humanos… )

Crie um espaço para Serviço Voluntário no seu Currículo e escreve sobre o Grupo Escoteiro que você pertence!

Esse é um post mais para quem faz parte do Movimento Escoteiro e Empresas mas aceite como uma dica da amiga Bela: independente da sua idade, faça serviço voluntário. É algo maravilhoso para sua alma e para quem você ajuda. 

  • Cilene em 29.01.2017

    Muito bom seus post, eu fui Bandeirante do meus 12 até 27 anos mais ou menos, e muito do meu caráter foi maldado lá, junto com o que aprendia em casa.
    Mas no grupo, tinha mais espaços para brincadeiras em grupo, para desenvolver a criatividade como você diz.
    Em casa a convivência com a família é limitada e querendo ou não vamos criando mais ou menos os mesmos hábitos e costumes e quando encontramos uma outra família grande e com padrões e costumes diferentes, aprendemos a beleza de conviver com os diferentes e aceitá-los e respeitá-lo e aprendemos a ver também o que queremos e não queremos para nossa vida.
    Parabéns pelo post.
    Beijos

    Responder

  • Marta Izabel em 29.01.2017

    Adorei a postagem!! Não sabia que as empresas gostam de olhar essa parte no currículo!!
    Beijoss

    Responder

  • Adrilaine Cezimbra em 29.01.2017

    Super ameidorei o post, não faço parte de nenhum grupo escoteiro, nunca fiz serviço voluntário, mas sempre quis, e acho que deve ser algo bem gratificante pra alma mesmo! E parabéns pela escrita.
    Beijão ♥

    Responder

  • Lívia Madeira em 29.01.2017

    com certeza os valores passados no escotismo sao mt bacanas e valem a pena serem mencionados em currículo sim! eu tenho uma amiga que faz parte do escotismo e sempre fala maravilhas

    http://www.tofucolorido.com.br
    http://www.facebook.com/blogtofucolorido

    Responder

  • Bruna em 29.01.2017

    Amiga linda! Eu acho que nunca tinha parado pra analisar dessa forma (talvez pq né u.u não contrato ng rsrs) mas achei bacana, vou passar a ver com outros olhos essas atividades. Realmente do modo que você explicou faz todo o sentido e como pode agregar o que de melhor a pessoa pode passar e exercer. Acho que no caso do escotismo, percebe-se de cara que a pessoa tem um bom ‘jogo de cintura’ e várias situações ela vai conseguir pensar a melhor forma de lidar. Você tá quase me convencendo que além de querer colocar a Juju nos escoteiros eu tbm vou qrer participar pra conhecer melhor =D amei o post! beijos e mt luz miga!

    Responder

  • Isabela Carapinheiro fevereiro 3rd, 2017

    Tô aqui dando bundada pra você levar a Juju pq sei que você vai acabar ficando por lá xD

    Responder

  • Aline em 29.01.2017

    Oi Isa,

    Eu não conhecia nada sobre escotismo até conhecer seu blog. Não que eu saiba muito, mas hoje sei várias coisas que me fazem enxergar o escotismo como algo enriquecedor.

    Eu acredito que todas as nossas experiências trazem aprendizados e que é importante falarmos disso quando estamos procurando emprego. Fico feliz que as empresas reconheçam isso como diferencial.

    Eu tenho muita vontade de fazer trabalho voluntário, não sei porque ainda não fiz… Mas espero que neste ano essa vontade seja realizada.

    Adorei o post!
    Beijos,
    Aline.

    Responder

  • Isabela Carapinheiro fevereiro 3rd, 2017

    Ai que linda você, Aline <3
    E essa é a minha intenção! Sempre falar mais sobre o Movimento Escoteiro e fazer com que mais pessoas reconheçam como algo bom!
    Toda cidade tem um grupo escoteiro, tenta visitar na sua!

    Responder

  • Luly em 29.01.2017

    Eu ADORO quando você fala sobre escotismo! Eu tenho amigos que já foram escoteiros, mas nenhum foi adiante assim a ponto de se interessa em me falar sobre o assunto, aprendi muito aqui!
    Acho que saber trabalhar bem equipe é fundamental… Eu pessoalmente tenho um pouco de dificuldade (confesso), mas tô trabalhando nisso aos poucos…

    Responder

  • Kemmy Oliveira em 29.01.2017

    Confesso que nunca tinha pensado nisso! Pra falar a verdade, os empregos que tive até hoje eram por contrato/concurso e não precisava de currículo. na verdade nem tenho um currículo haha
    Mas vou me atentar a isso quando precisar elaborar um! Não sei que tipo de serviços voluntários posso fazer na minha cidade mas vou me informar.
    Beijos

    Responder

  • Larissa Zorzenone em 29.01.2017

    Oi Bela
    Nunca fui escoteira, mas me identifiquei bastante com a mensagem passada. Eu tenho bastante interesse em colocar meu filho em um grupo de escoteiros. A partir de que idade ode entrar?
    Beijinhos

    Vidas em Preto e Branco

    Responder

  • Lilian da Silva Cardoso em 29.01.2017

    Bela, será que você sabe como faço para me inscrever em um grupo de escoteiros aqui em SP? Morro de vontade, mas não faço a mínima ideia de como funciona. Um super beijo 🙂

    Responder

Translate »