Categoria "Mulher"
04.09.2015

Girls just wanna have fun(damental rights)

Girls just wanna have fun 1

Durante essa semana estava conversando com um amigo e comentei com ele como desejaria um mundo paralelo onde os homens dessem em cima de caras (héteros), exatamente como esses seres machistas fazem -com desculpa de que é elogio te chamar de gostosa.

Depois dessa conversa, voltando para casa, cheguei até a me deparar com uma cena abusiva: uma moça com sua filha de uns 4 anos tinha ao lado um senhor com o ‘membro’ pra fora, se MASTURBANDO dentro do trem! Sem pudor algum e sem quem o fizesse parar. O sangue subiu, e quando me deparei com a cena e me dei conta, eu já tinha jogado o cara no chão e batia nele. Fiquei fora de mim, confesso.

Girls just wanna have fun 2

Hoje, passeando por essa internet rica de conteúdo, encontrei esse vídeo que condiz exatamente com o que pensei!

Esse é o Carlinhos, o machista gay:

Quanto tempo será que demorará para que os homens entendam que pegar no braço de uma desconhecida, parar na frente dela e abrir a porta do carro mandando entrar e/ou gritar no meio da rua ‘Que gostosa!’ ou ‘Que rabão!’, não é elogio?  Que primitivo!

Girls just wanna have fun 3

E se no caso, um garoto fosse assediado por mulheres?

Já passei por todas essas situações e algumas até piores, do tipo de perseguição. É assustador! Sou do tipo que manda ir pra aquele lugar e que ameaça voltar pra bater no cara. Isso não é engraçado, é algo fora do comum considerando que somos seres pensantes!

Girls just wanna have fun 4

Fiz essa postagem por que soou como desabafo mas gostaria de criar uma nova sessão no blog. Gostaria de ajuda para a escolha de nomes! ♥

28.10.2014

Outubro Rosa & Super Heroínas contra o Câncer de Mama

Por toda São Paulo vejo mulheres com camisas rosa, lacinhos rosa e com a camiseta da campanha Outubro Rosa – Contra o Câncer de Mama.

Após ler o post da Cozinho, Logo existo (que não achei o nome da blogueira em lugar nenhum O_o) sobre o câncer de mama que seu PAI, sim, seu pai, teve, fiquei emocionada. Vale a pena ler o post completo.

Eu não tinha ideia do que escrever para esse post e estava enrolando.

“Não sei porque demorei tantos outubros para escrever sobre isso. Foram 4 anos de outubros cinzas sem conseguir escrever. Porque eu pensava sobre o assunto, mas não conseguia seguir adiante.

Em 2010, meu pai morreu.

De câncer.

De mama.

Se você não sabia que homens também estão no “grupo de risco” de pessoas que podem desenvolver câncer de mama, não se sinta ignorante: você não está sozinho.”

Me senti uma ignorante por nunca ter escutado sobre as chances do câncer de mama em homens.

outubro rosa

outubro rosa 2

outubro rosa 1

Minha família tem tendência a câncer. Três tias tiveram (mama e intestino) uma delas faleceu dois anos atrás, minha mãe teve indícios mas graças a Deus tudo está bem.

Não fique ai pensando que ‘ai, sou nova de mais para ter câncer’ porque á partir da sua primeira menstruação você tem chances de tê-lo. Aliás, é muito importante o auto exame após o ciclo menstrual terminado.

A agencia de publicidade DDB realizou uma campanha para a Associação da Luta Contra o Câncer incentivando as mulheres a realizarem o auto-exame de câncer de mama.

Ninguém está imune ao câncer de mama. Quando falamos sobre câncer de mama, não há mulheres ou Super Mulheres.

outubro rosa 6
outubro rosa 5
outubro rosa 4
outubro rosa 3

Este post faz parte da blogagem coletiva do Rotaroots, um grupo de blogueiros saudosistas que resgata a velha e verdadeira paixão por manter seus diários virtuais. Quer participar? Então faça parte do nosso grupo no Facebook.

14.08.2014

Tipo menina.

A Always – P&G convidou garotos e garotas mais velhas para uma audição, onde pediu para que encenassem situações que eram descritas como “correr como uma menina”, “lute como uma menina”, “jogue uma bola como uma menina”.

Faziam imitações de caricaturas estereotipadas, como correr ‘mole’ e jogar a bola sem força.

Emocionante é ver o que acontece quando meninas mais novas são convidadas a interpretar as mesmas descrições de cenas. Ao mostrar o que era correr como uma menina deram o melhor de si, seja correndo no lugar ou saindo pelo set de filmagem. O mesmo aconteceu com todos os outros pedidos, que foram feitos com garra e com vontade.

Questionada sobre o que significava ‘correr como uma menina’, a garotinha de vestido rosa esclareceu: “correr o mais rápido que eu puder”.

Esse conceito negativo da comparação como uma menina só se torna um insulto no início da adolescência, entre os 10 e 12 anos.

O intuito da marca, através da campanha Always #likeagirl é mostrar que isso pode significar coisas incríveis, se pararmos de usar essa expressão como humilhação ou redução de alguém.

Ao final, os mais velhos que participaram da audição, foram incentivados a refletirem sobre a atuação que fizeram, e pede que mostrem como seria ‘rebater como uma menina’ sem pensar em estereótipos.

E obviamente: o resultado é completamente diferente do inicial. Uma bonita campanha de empoderamento feminino.

Gostaram?

Página 3 de 41234
Translate »