Categoria "Papo Sério"
15.04.2017

Razões pelas quais resistimos á felicidade

Photo credit: Junda JK. via Visual Hunt / CC BY-NC-ND

Quando a crise de ansiedade tornou-se um ataque de pânico comecei a procurar por leituras que me aproximassem mais de mim mesma. E com isso fui apresentada aos livros O Poder do Agora, Budismo para Leigos e Atençã Plena – Mindfullness.

Com essas leituras, aprendi um pouco sobre como nossa mente nos auto sabota sem que percebamos.

Chega até ser engraçado alguém ler o título do post e pensar ‘Que? Como alguém pode resistir em ser feliz?!’

A nossa felicidade não é um caminho á ser traçado e alcançado em certa idade. Não é uma montanha russa. É a forma como encaramos a vida.

Razões pelas quais resistimos á felicidade

Certas atividades são mesmo difíceis: As coisas que nos fazem felizes, também são as mais difíceis. Estudar para acabar o curso em que estamos, sair do emprego que não gostamos é difícil, ou mesmo escrever posts todos os dias…. É muito mais fácil ficar todo o dia no sofá, assistir televisão com lavagem cerebral gratuita, do que fazer algo pela nossa felicidade. Se você está nesta situação, mentalize que quase nada nesta vida é alcançado sem esforço.
 
Aquilo que nos pode fazer feliz, pode deixar outras pessoas desconfortáveis: Vivemos em sociedade, o que significa que as pessoas que são mais próximas e queridas também se regem por esses mesmo padrões; o que poderá fazer com que eles se sintam desconfortáveis quando tu tentas fazer algo que vai contra os ideais da sociedade ou mesmo os ideais da família. A dica maior vem agora, se você não realizou por si mesmo: a vida é tua, assim como a palavra final.
 
Achar que é muito velha para começar a fazer algo: Tem quem sempre comente aqui n blog ‘ah, queria tanto ser escoteiro quando era criança…‘ Aí explico que existem adultos (!!!) no Movimento Escoteiro, até ajudo a achar um grupo e aí falam ‘Mas sou velha agora, não tenho quase tempo…”  sempre aquela ideia que, ou se começa desde criança a fazer certas atividades, ou nunca vais ter sucesso/ser feliz. Vou dar um exemplo: minha irmã, Luzia (esse é o instagram dela) começou a correr depois dos 30 mesmo sem ter praticado esportes por quase 20 anos e hoje em dia pega pódio na categoria dela! Nunca se é demasiado velho para começar a fazer algo que nos faz feliz, o importante é ter vontade e persistência.
 
Não fazer certas coisas porque acha que não se encaixa com quem você é: Quem não conhece alguém que sonha fazer uma coisa e estuda/trabalha outro nada a ver?! No meu caso, por ter muitas tatuagens, sempre falaram que eu não poderia trabalhar com pessoas. Além de ser professora, sou chefe Escoteira e sempre tive contato com adolescentes.  A verdade é que somos muitos mais do que os rótulos que nos colocam ou que colocamos a nós mesmos. Somos seres humanos com várias facetas e com vários interesses . Não nos devemos obrigar a escolher apenas uma coisa que nos faça feliz ou coisas que se encaixem num determinado estereótipo, devemos fazer todas as coisas que nos aqueçam o coração!
 
Quando se sente bem com algo, sente culpa: Parece engraçado mas tem quem seja assim, sim! Existem pessoas que por se sentirem bem a passar tempo sozinhas, por exemplo, se sentem culpadas. Pensam que são egoístas só que na verdade não são. A sociedade ou mesmo a maneira como fomos educados fazem-nos acreditar que certas coisas não nos deveriam fazer felizes, tipo não fazr parte de nenhum grupinho. 
Tem medo que algo não corresponda às tuas expetativas: Tem medo de viajar para determinado lugar por achar que não conseguirá se virar sozinho ou sentirá muita saudade de algo ou alguém. Tem medo de fazer novos amigos e que  eles, por fim, não correspondam ao que imaginou, por isso preferes nem fazer, para manter intacta determinada ideia. No entanto, ao não experimentar, está a perder a possibilidade daquilo corresponder ou ultrapassar as tuas expetativas e de ficares feliz. Tal pode não acontecer, mas não sabes se não tentar.
 
Tem medo de falhar: Esta é a razão mais comum pela qual as pessoas resistem da felicidade. Ter medo de não ter sucesso na atividade que querem experimentar e de ser um fracasso. Não tem como ser um fracaço só por ter falhado em algo, você é muito mais do que os teus erros/insucessos. Erros NÃO TE DEFINEM. O que vale a pena é tentar algo e falhar, do que nunca ter tentado. Se falhar, com certeza vai sempre aprender algo com o sucedido e a tristeza resultante do fracasso vai acabar por passar.
Ainda não sei se falarei mais dos livros aqui no blog mas pretendo fazer alguns vídeos sobre o que tenho aprendido com eles.
O aprendizado tem estado em prática no meu dia a dia e vocês verão a cada post.
Recomendo a leitura – e uma dica: você encontra os três em PDF no LELivros.pro
12.04.2017

Erros ao tomar medicamentos

Eu não sou nenhuma médica ou entendedora do assunto mas em uma última consulta, descobri alguns erros mais comuns na hora de tomar medicamentos. E que infelizmente, por falta de informação ou desleixo, muitas pessoas acabam por fazer essa caca.

Erros ao tomar medicamentos

  1. Retirar o conteúdo das cápsulas. Quem nunca viu aquela pessoa que prefere abrir as capsulas e ingerir o pó por acharem que a digestão do medicamento é mais fácil e o efeito mais rápido?! Pode parar de fazer isso já! A capsula existe para proteger o pó da mucosa da boca e do esôfago.
  2. Tomar medicamentos com álcool. Sabe o anti-inflamatório que o médico passou e falou que você não deveria ingerir álcool? Então, o álcool tem interferência com muitos medicamento, pode afetar a cognição, pode causar náuseas ou taquicardia.
  3. Tomar comprimidos sem água: A não ser que o médico ou a caixa do medicamento diga explicitamente para não beber água, tens que beber. Caso não bebas água com o comprimido, podes correr o risco deste ficar retido no esófago.
  4. Cortar ao meio comprimidos que não têm risquinho. O único comprimido que pode ser cortado ao meio é o que tem o risquinho no meio. Se não tiver nenhuma marca, não o faça. Se dividir ao meio um comprimido e tomar só metade, é arriscado tomar a parte que não tem os componentes ativos do medicamento ( que podem ficar todos juntos na parte que não foi tomada!)
  5. Triturar os comprimidos. Muitas pessoas fazem isso para conseguir tomá-los mais facilmente mas triturar condiciona logo a absorção dos mesmos, fazendo que sejam rapidamente absorvidos ( mais do que o que é suposto), o que pode levar a uma intoxicação.
  6. Dividir medicamentos com a família e amigos. É algo que é muito comum e não deveria ser! Aquele negócio de aconselhar um remédio que deu certo com você não é uma prática muito boa. A verdade é que tirando os medicamentos de venda livre, você nunca deve dividir os medicamentos que te receitaram com outras pessoas. Os medicamentos foram receitados por médicos que te acompanharam, fazendo testes e exames, ou seja, são para o teu caso!
  7.  Tomar medicação fora da hora. Cada medicamento foi previamente estudado detalhadamente: como o tempo de absorção, efeitos no organismo ou interferências com alimentos. É muito importante seguir à risca o horário de cada dose. Certos medicamentos só podem ser tomados de manhã, em jejum, outros só pode ser à noite. Tipo o do Hipotireoidismo, que eu preciso tomar sempre no mesmo horário, pela manhã e em jejum.

Espero que essas dicas ajudem a nenhum desses erros serem cometidos por você ou pessoas próximas!

Não esqueça de compartilhar a postagem!

 

09.04.2017

Não romantize a ansiedade (ou outras doenças psicológicas)

Lembro a primeira vez que li sobre a ansiedade na internet e foi em um textinho do tumblr. Neste segundo, achei que ‘finalmente alguém me entedia’. Ao continuar a leitura, percebi que minha ansiedade não era como o escrito ali.

Os motivos pareciam esdrúxulos pra mim, tipo falar que estava ansioso para uma prova mas ainda assim conseguia comer, pensar e sair para beber.

A mesma coisa aconteceu sobre os posts sobre ser bi-polar: ‘Quando estou no lugar x, sou feliz mas quando vou para o lugar y, me sinto mal’ – tipo a escola ou voltar para casa, ficar na presença dos pais.

Uma grande coisa que tenho em mente é que o tumblr sempre foi e será a rede social dos jovens. Aqueles que não conseguem ainda entender os próprios sentimentos e que entram em contradição diversas vezes.

E de repente, todo mundo sofre de doenças psicológicas.

Ter depressão é o cult. Todo escritor, cineasta, Lana-del-Rey-da-vida já teve ou tem depressão.

Veja bem, não estou falando que ninguém tem nenhuma doença psicológica. Estou dizendo que o sofrimento de quem tem é muito maior do qualquer quote com foto bonita de fundo possa exemplificar.

Eu sempre tive crises de ansiedade ao ponto de ter que estar em algum lugar ás 15h e desde o minuto que acordava, sentia o coração acelerado, preparava diálogos mentais, tremia e suava até que o momento acontecesse. E dependendo da situação eu ficava cega enquanto acontecia, do tipo não lembrar nada do que aconteceu. 

Mês passado tive a sensação de que morreria ao ter um ataque de pânico em casa. Não foi nada bonito. Nada romantico como em um filme do Wes Anderson.

Ainda não estou melhor.

Não tomo café faz um mês e descobri que até mesmo chás que contem cafeína aceleram meus batimentos cardíacos depois do ataque de pânico. Minha saúde está mais estranha que clipes da Anitta.

Não é cult sentir tanto medo de não conseguir respirar ou diminuir seus batimentos cardíacos. Não é legal sentir tanta confusão na mente que ao mesmo tempo que você quer ficar sentada, querer levantar, tirar a camiseta, colocar uma meia e ter o nariz gelado.

Tenho policiado meus pensamentos, feito yoga e lido sobre o budismo. Quero minha mente sã sem apelar aos medicamentos.

E aí vem as sugestões amigáveis: sai pra caminhar, assiste uma série, vai ler. Além do famoso pare de drama, não tente chamar a atenção. Não quero em momento nenhum dizer que as pessoas devem parar de tentar ajudar – apenas que elas precisam desenvolver mais sensibilidade quando falam com um doente, não devem tratar de forma banal.

Um dos principais pontos é parar de tratar as doenças psiquiátricas como doença de rico.

Acredite, este tipo de grupo cult é um que você definitivamente não quer fazer parte.

Se dizer doente com base no google ou no sentimento de sexta-feira á noite no tumblr, pra parecer legal, pra manipular alguém, porque tá na moda, só te transforma em um debilóide desrespeitoso.

“Tá até tirando foto sorrindo!”
“Doente? Mas tá até fazendo vídeos todo dia pro youtube! Tá postando mais que eu!”

Quem se interessa por alguém que está passando por um transtorno adaptativo + doença psicológica?! Eu é que não quero postar coisas tristes e falar várias vezes das sensações horríveis que tenho sentido.

A melhor forma de tratar doenças psicológicas é fazer com que a pessoa tenha momentos de lazer e que não pense em coisas ruins.

E como a internet tá aí, quem quiser ler, lê e quem não quer, fecha a aba, decidi escrever sobre algumas coisas que estão me ajudando no dia a dia com a ansiedade e o pânico.

Página 3 de 6123456
Translate »