Categoria "Sem Categoria Ainda"
05.12.2017

Uma tarde de inverno perfeita

O inverno chegou aqui na Finlândia. Sim, hoje! Já que nevou dois dias e a neve derreteu no mesmo dia porque a temperatura estava positiva ainda ( 0ºC é positivo socorr). Aliás, ano passado começou a nevar no final de outubro! 

Amo o inverno, neve e colocar várias camadas de roupa! O pessoal aqui acha muito louco uma brasileira gostar tanto de frio e neve como euzinha gosto. Fico feliz de andar na neve e ficar com os dedos dos pés congelados, ando com a boca aberta pra tentar pegar floquinhos de neve e faço bolinhas de neve pra jogar pra cima!

Por isso decidi dividir algumas coisas que fazem uma tarde de inverno perfeita
Velas e luzinhas de Natal (as brancas, né?!) fazem tudo ficar mais fofinho e confortável. Eu costumava ter em cima da minha cama luzinhas. Apagar as luzes e sintir o cheiro da cera derretendo, escutando música clássica!  

Tem sempre aquela receita quentinha que faz você ficar feliz em certos dias ou épocas do ano? Eu sou assim com sopinhas, que me esquentam de fora pra dentro e me dão sensação de não estar sozinha. Qual é sua confort food preferida?  

Nada melhor do que estar no seu pijama, meias de lã e cobertozinho assistindo alguma série no Netflix. Definitivamente aprenderei a fazer minhas próprias meias de lã ou de crochê para os próximos invernos. 

Ás vezes, coloco minha cadeira de leitura em frente da janela só pra ficar vendo a neve cair. E se deixar, fico por horas assistindo e desejando ter alguma coisa pra fazer lá fora pra poder ir pisar nela. 

Se você não maratona Harry Potter em todas as estações do ano, o problema é seu ahaha mas pra mim, melhor época do que Outono e Inverno não existem! Ainda mais juntando todos os itens que citei anteriormente. Qual seu filme preferido da saga?

 

Como você imagina uma tarde gostosa de inverno?

 

11.02.2017

Zaful Valentine’s Day Wishlist 💘

 

Como esse é o nosso primeiro Valentine’s Day aqui na Finlândia (mas já comemoramos o dia dos namorados na data BR, ano passado), decidi montar três looks para sair com o Antti, com a ajuda da kiridinha ZAFUL .

Aqui ainda tá friozim mas todos os lugares são aquecidos (os únicos momentos que posso sentir frio é de casa para o carro/ônibus e do carro/ônibus para o estabelecimento!) o que dá pra criar o tipo de conjunto de roupas que adoro: legging e camiseta/sweater.

Antes de começar a dar uma olhada nos looks que montei, gostaria de deixar bem claro que eu usaria TODAS essas combinações, mesmo as modelos sendo magras, me imagino lindamente com todos os outfits. 

Militar Grunge

Sweater de amarrar +  Legging militar  + Coturno + Boné

Trouxe comigo apenas uma, das minhas três calças com estampa militar (que eu adorooooooooo!) e que dá pra combinar com pelo menos três cores diferentes (verde, preto e variações do marrom). A cor do sweater, mesmo não sendo exatamente a mesma da leggin dá um charme, ainda mais com o boné e o coturno.

Soft Winter

  Sweater degradê +  Legging detalhe nas coxas  + tênis + Touca 

A verdade é que: ás vezes só quero usar preto e outras, quero deixar meu unicórnio interior sair á passeio. Eu nunca fui muito fã de rosa pink mas a cor soft me agrada.

90’s Grunge

 Cardigã sobretudo  + Legging Rasgadinha  + 90’s TShirt + Bota com spikes

Eu nasci no ano de 90′ e gostaria muito de ter aproveitado exatamente a moda Grunge, muito obrigada aos influenciadores de moda que trouxeram as roupas de volta. Mesmo que a moda passe, eu continuarei usando calças rasgadas, camisetona, bota e xadrez.

After Midnight

Lingerie 

Como o próprio Antti fez quando mostrei as escolhas de roupa: esse emoji explica a escolha do ‘look’ 😏😏😏 tem que fazer um agrado pro mozão, né?!

Ah, se você ainda não tiver conta na Zaful, você ganha um desconto de $10 para cada $50 se cadastrando com ESSE LINK.

Sei que no Brasil tá um calorão mas qual dessas combinações vocês usariam? Gostaram da Wishlist? Qual acham que eu deveria usar para nosso date de Valentine’s day? 

OBS: eu não sou fashionista ou consultora de moda apenas escolhi coisas que sei que usaria.

25.11.2016

Resenha: Sete Histórias de Pescaria do Seu Vivinho

Sete Histórias de Pescaria do Seu Vivinho | A Bela, não a Fera

 Sete Histórias de Pescaria do Seu Vivinho 

Autor: Fábio Sombra & João Marcos
Ano: 2011
Editora: Abacatte
Páginas: 67
Mais informações: Skoob (4,8)

Sinopse: As mirabolantes histórias do seu Vivinho surgiram, inicialmente, para serem publicadas em forma de folhetos de cordel. Um feliz encontro entre o cordelista Fábio Sombra e o quadrinista João Marcos em 2010 acabou mudando o rumo das coisas. Numa mesa de restaurante, no intervalo de suas apresentações no Circuito Literário da cidade de Contagem, Minas Gerais, surgiram as primeiras conversas que acabariam por definir os rumos desta parceiria criativa. Os casos do velho pescador ganharam uma linguagem visual elegante e livremente inspirada na estética das xilogravuras. No entanto, a narrativa e os diálogos preservaram a métrica e as rimas do texto original em um notável trabalho de adaptação e harmonia entre duas linguagens diferentes – a do Quadrinho e a do Cordel.

Sete Histórias de Pescaria do Seu Vivinho | A Bela, não a Fera

Primeiro, deixa eu te situar: Cordel é um gênero literário escrito frequentemente na forma rimada, originado em relatos orais e depois impresso em folhetos. Tudo começou no século XVI, quando o Renascimento popularizou a impressão de relatos orais.  O Cordel é famoso no Nordeste do Brasil mas existe no Rio de Janeiro a Academia Brasileira de Literatura de Cordel.

Conheci a literatura de Cordel com meu pai e as viagens mirabolantes dele pro nordeste. Ele trouxe alguns dos folhetos que encontrou em feiras livres por lá e disse que eu me interessaria.

A forma que o Cordel é ilustrado é chamado de Xilografia. A Xilografia é uma técnica chinesa. Nada mais é do que a impressão de desenhos feitos na madeira, sendo talhados com as imagens desejadas e depois, com tinta sobre, carimbam o papel.

Tanto o Cordel, quanto a Xolografia tomaram um espaço na minha vida juntamente com a faculdade de Letras. Queria aprender mais sobre toda cultura brasileira. Nessa mesma época, fiz um curso de Xilografia na Oficina Oswald de Andrade, em São Paulo.

Agora que estão entendidos do assunto, vamos falar mais sobre o livro. Sete Histórias de Pescaria do Seu Vivinho | A Bela, não a Fera

O personagem principal é um senhor chamado Vivinho. Seu Vivinho é um contador de lorota da melhor qualidade ( tendo uma fama de mentiroso).  Tipo agradável, com aparência de bom velhinho e personalidade otimista. Está sempre de bom humor, adora contar suas histórias recheadas impossibilidades mas a graça está exatamente ai.

Mas Clerisvaldo, um moço que mora na cidadezinha, sempre duvida de tudo que Vivinho fala e está sempre tentando desmascará-lo, provocando debates cheios de humor e contradição entre ambos.

A famosa expressão “histórias de pescador”  acredito que todo mundo já conheça do tanto gera causos quando exagerados mas, acredite, a melhor história é a da cobra que gosta de chocolate.

A estrutura rimada e compassada de todo o texto atraente o leitor.

As ilustrações ajudam mais ainda a criar um contexto divertido. O desenhista caracteriza muito bem os personagens seguindo suas personalidades. Vivinho como o bom tipo, mesmo mentiroso, mas que agrada aos ouvintes, com traços mais circulares e fofos, já Clerisvaldo, sempre contestador, com seus modos mais resmungam e cheio de traços retos.

No final, ainda temos a contextualização de cada tipo de peixe que aparecem nas histórias. Assim como uma página só para desvendar a verdade de um mistério misterioso, já que o título fala em sete histórias, mas que na verdade são oito: ou seja “é coisa de mentiroso”.

Esse livro veio para algumas escolas da rede estadual para tentar aproximar os jovens á ler e talvez, até se interessar em conhecer novos gêneros literário.

Eu adoraria que o Cordel fosse mais conhecido pelo Brasil por ser uma forma de expressão oral e impressa rica da nossa cultura.

E você, o que achou? Já conhecia a Literatura de Cordel ou sobre Xilografia? 


Página 1 de 3123
Translate »