Categoria "Textos Autorais"
04.05.2017

A-Z da Isabela Carapinheiro Välimaa

Como tenho tentado postar mais coisas pessoais aqui, resolvi fazer um de A-Z da minha vida.

E nada melhor do que ser postado no meu aniversário! Sim! Hoje completo 27 voltas completas ao redor do sol! 

A-Z da Isabela Carapinheiro Välimaa

A is for Antti, o dono dos meus sorrisos e coração. 

B is for Baking, amo cozinhar e minhas melhores receitas saem de um forno bem quentinho.

C is for Chocolate. O único tipo de doce que não sei ficar sem. Pode ser amargo, meio amargo, branco, com morango. Amo!

D is for Disney. Sou completamente apaixonada por esse mundo mágico que somos apresentados desde criança, tenho de confessar. Esse seria o único lugar que eu gostaria de visitar no Estados Unidos. 

E is for Entertainment. Tenho a necessidade de consumir informação de meu gosto, ou seja: livros, séries, saúde, bandas, fotografia, filmes, línguas e linguagens, poder mental, auto conhecimento, receitas, animais, natureza… 

F is for Finland! O país que me recebeu um ano atrás e que ainda não conheço nem 1/3.

G is for Gigs. Eu já fui em mais de 100 shows entre bandas nacionais desconhecidas, conhecidas e internacionais. Esse é o meu jeito de socializar e de acalmar cantando em plenos pulmões as canções que tanto amo. 

H is for Harry Potter. HP é vida. Eu cresci acompanhando os filmes e os livros, fazendo capas com pedaços antigos de tecido preto que encontrava e qualquer galho de árvore virava uma varinha. E claro, eu sempre era a professora de Poções. 

I is for Isabela. Isabela, com um L, com S. Sim, Isabela, não é Izabel ou Isabelle. 

J is for José, meu pai querido que tanto sinto falta de uma conversa séria e conselhos de alguém tão vivido.

K is for Kindness. Eu sempre fui bondosa, mesmo com quem não conheço, praticando a empatia a todo ser vivo. 

L is for Luzia e Luis Fernando, minha irmã e meu sobrinho que mal sabem o quanto sinto saudades de arrumar encrenca por diferenças.M is for Marivam, minha mãezinha amada que tem o melhor colo do mundo.

N is for Neverland. Tenho plena consciência de que o mundo que criei em minha mente é também conhecida como Neverland. As características são exatamente como descritas por Peter Pan. O único porém é que quando deixo alguém entrar lá, a pessoa não entende bem, faz uma bagunça e vai embora sem arrumar nada. 

O is for Ohana. Não importa se tem meu sangue ou se escolhi para fazerem parte da minha vida. “Ohana quer dizer família. Família quer dizer nunca abandonar ou esquecer.”

P is for Photography. Mesmo estando nessa vibe toda de gravar videos, meu maior delírio é capturar o piscar de olhos em fotografias. Tenho uma frame já fixa em meus olhos que faz com que eu fique triste quando não tenho a camera em mãos para salvar momentos. 

R is for Rudnei, meu irmão inteligente que mal sabe o tanto que influenciou nas minhas escolhas de vida.

S is for Scout. Não sei o que seria de mim e de minha personalidade se não tivesse passado pelo Movimento Escoteiro. 

T is for Treze. Meu número da sorte. Parece que tudo que olho e conto dá resultado 13. 

U is for University. Eu sou formada em Letras – português e inglês, dei aulas por 3 anos mas nessa nova fase, estou me preparando para cursar Artes e Media. 

V is for Values. Quem me conhece sabe que tenho forte valores e morais que nada -se não eu mesma- mudará. 

X is X-Men. Meu desenho preferido da adolescencia e que me fazia perder a hora de ir pra escola assistindo. 

W is for WeHeartIt. Sempre que tou sem inspiração, na bad, procurando algo pra fazer abro o site e fico olhando as fotografias. 

Y is for Youtube. Meu novo projeto de vida, trabalho e forma de conhecer a mim mesma nessa nova fase. 

Z is for Zzzz, uma das coisas que mais amo fazer é dormir e sonhar coisas impossíveis. Tem algum fato que você não sabia sobre mim? 

Que tal fazer o seu próprio A-Z? Deixa o link nos comentários pra mim!

27.12.2016

Sobre sucesso e falhas

Este ano começou com minha vida lá no alto da escada por causa dos dias de energização na praia com as amigas, aí jogou-se no chão de birra e então reergueu-se antes da metade dos doze meses, terminando maravilhosamente. De fato 2016 foi um ano bom pra mim – mesmo com a perda de artistas que envolveram minha infância.

Só que a ideia desse post é mais sobre conversar sobre sucessos e falhas.

Nós, reles mortais, temos mais falhas pra tropeçar durante a vida –muitos dizem- do que sucesso. Quase nenhum. Quase nunca. Parece que temos que alcançar algo invisível aos olhos para que o resto da engrenagem continue a funcionar.

Só que isso depende do ponto de vista.

Você dá duro pelo que quer?

Do fundo do coração responda isso.

Eu tenho crises de ansiedade, que mesmo programando o dia inteiro com coisas para fazer, não consigo ir além de ficar sentada no sofá olhando as árvores sacudirem. Ás vezes, dura dois dias ou mais. Outras vezes, penso em algo que acaba me motivando e chegamos ao outro lado da moeda – minha ansiedade tem dois lados: quando quero fazer tudo ao mesmo tempo e rápido, pra recuperar o tempo perdido. Claro, em menos de 24 horas.

E é aí que eu entro na pira de que não alcanço sucesso por não dar duro. E é aí que eu tenho certeza que entra a maior parte de eu não ter tanto sucesso em certas coisas que ansiava em ter feito.

Sucesso vem de algumas formas: trabalhar duro, ter um toque do cosmos no destino ou ser rico.

Tenho plena aceitação e exercício no dia a dia da lei da atração, já que desde os 15 anos, querendo vir pra Finlândia, sempre que alguém me perguntava o que eu faria quando estivesse aqui, eu responderia ‘sei lá, vou viajar, encontrar o amor da minha vida e me casar…’ ACREDITE, eu sempre respondi isso! E repetindo essas respostas, o que atraí pra minha vida? Exatamente as palavras ditas.

Algumas das grandes falhas que aconteceram esse ano foi estar ajudando em um Grupo Escoteiro. Na fundação dele e ser desmerecida no que fazia, junto com dois amigos só porque ‘éramos muito jovens ‘. A falha foi acarretada por pensamentos negativos de um terceiro, que jorrava péssimos pensamentos.

Sendo a pessoa sentimental, espiritual e energizada que sou, acabou me deixando muito mal em deixar o G.E. no comecinho, não aguentando a pressão de tentar ajudar e não desejarem minha ajuda -sendo o segundo G.E. que acontece algo parecido.

Nesse mesmo momento de falhas consecutivas, decidi fazer a viagem, mesmo sofrendo com a depressão – eu estava em um dos seus auges – por estar desiludida da realidade das escolas, do ensino, dos jovens.

Depois desses dois acontecimentos e com a chegada da viagem, decidi canalizar só energia positiva no meu dia -enquanto falavam ‘e se o avião cair? e se você for assaltada? e se….’ – e com isso, só atraí coisas boas.

Estava conversando com as meninas do grupo Café com Blog com essa necessidade de ajudar os outros, e de ser a luz entre as pessoas de pensamentos negativos.  Muitas pessoas não entendem esse meu jeito. Alguns chegam até a se aproveitar. 

Não tenho metas traçadas para 2017. O mundo gira muito rápido pra que faça com o que eu decida coisas em um estralar de dedos.

Tenho algumas ideias, já mentalizadas na minha mente, de onde quero chegar no ano que vem. Com certa certeza que o futuro é inesperado mas que continuo tendo as rédeas da tal vida que me pertence.

O que tenho feito é me policiar em cada pequeno pensamento que rodeia minha mente para que seja lançado o mais distante possível para que não se materialize, pode ser um pequeno que bosta, esse troço não vai dar certo…

Nem sempre as falhas são por sua culpa mas com certeza o sucesso depende de você!

Antes mesmo de correr atrás, mentalize o que quer, onde quer chegar e de qual forma fará pra acontecer! E aí então, abrace o mundo pois ele é seu e ninguém pode te tirar o sabor maravilhoso da vida.

Sempre pense positivo. Até mesmo pela ideia mais boba que tiver. Cara, o poder da mente é muito maior do que você imagina!

Me diz, o que você fará para diferenciar seu ano de 2017 e alcançar o sucesso merecido?

10.12.2016

Conto Natalino🎄 : A Garota e o Pardal 👧🐤

Photo credit: Lucas Lucas via Visualhunt / CC BY

A neve cobria tudo que se encontrava ao alcance dos olhos, refletindo as poucas horas de luz que o dia trazia na pequena vila de Verkaus. Mesmo com o vento gelado e frio, as aves não descansavam durante os meses congelados á procura de alimento.

Ao abrir os olhos e espreguiçar-se em sua cama quentinha, com a luz do dia entrando por sua janela, Annika pôde ver pela janela uma árvore com seus galhos cheios de neve. Seu pensamento foi logo levado aos pássaros da região, sem entender onde dormiam ou como conseguiam comida já que as frutinhas de verão estavam escondidas pela camada de gelo.

– O Natal é uma época tão feliz para as pessoas mas o que será dos passarinhos sem comidinhas e um ninho quentinho? 

Annika correu para a janela e ao abri-la, avistou o Pardal que costumava visita-la quase todas as manhãs. Um Pardal com uma manchinha castanha no peito que lembrava muito a cor dos cabelos do irmão mais novo. Esse que não estava mais morando com ela desde que foi levado á terra dos anjos por causa de uma doença que tinha um nome estranho e que fazia com que ele perdesse todos os fios de cabelo.

Voltou-se para sua escrivaninha, em que tinha um potinho com a maçã que comeu na noite anterior, retirou as sementinhas e levou-as até a janela, na esperança do pássaro vir para alimentar-se.

O Pardal voou até a mão da garotinha e após bicar o primeiro grão, um raio de luz encheu o quarto de alegria e a ave começou a falar:

-Em todas as manhãs em que te visitei, você não deixou de me dar alimento durante os dias frios. Este é o seu presente de Natal, a compaixão dos anjos de me deixar vir até você por saudades que tinha em meu peito e não podia mais conter. Sou eu, seu irmãozinho que retornou á Terra no corpo dessa ave. Vim para te agradecer pela bondade, por ter me protegido em vida humana e em vida animal. Não se esqueça nunca do real significado do Natal e que enquanto os anjos permitirem, virei te visitar e te lembrar de que um dia estivemos unidos em vida. 

A garotinha deixou o Pardal pousar em seu ombro, e em lágrimas de alegria, faz um leve carinho em sua penugem, prometendo silenciosamente em cumprir o desejo de seu irmãozinho.


Escrita por Isabela Carapinheiro Välimaa. Inspirada na canção finlandesa ” Varpunen jouluaamuna” .

Página 1 de 2112345... 21Próximo
Translate »