Categoria "Viagens"
27.06.2014

Castelos pelo mundo #2

Esta é a segunda parte dos castelos mais bonitos do mundo – na minha opinião *-* Perdeu a primeira parte? Clique aqui.

Castelo de Neuschwanstein – Alemanha
castelos1

O Castelo de Neuschwanstein (em alemão Schloss Neuschwanstein) é um palácio alemão construído na segunda metade do século XIX, perto das cidades de Hohenschwangau e Füssen, no sudoeste da Baviera, a escassas dezenas de quilometros da fronteira com a Áustria.Foi construído por Luís II da Baviera no século XIX, inspirado na obra de seu amigo e protegido, o grande compositor Richard Wagner. A arquitetura do castelo possui um estilo fantástico, o qual serviu de inspiração ao “Castelo da Bela Adormecida”, símbolo dos estúdios Disney. Apesar de não ser permitido fotografar o seu interior, é um dos edifícios mais fotografados da Alemanha e um dos mais populares destinos turísticos europeus, além de também ser considerado o “cartão postal” daquele país. O nome Neuschwanstein é uma referência ao “cavaleiro do Cisne”, Lohengrin, da ópera com o mesmo nome.
Só que me sinto em Frozen vendo esse castelo? *-*

Castelo de Conwy – País de Gales

castelos2

Foi construído pelo Rei Eduardo 1 entre 1283 e 1289. Atualmente está aberto à visitação. O Castelo de Conwy (em inglês: Conway Castle; Castell Conwy em galês) é um castelo localizado em Conwy, na costa norte do País de Gales, Reino Unido. Está classificado como Patrimônio Mundial da Humanidade, integrado no sítio Castelos-fortes e Fortificações do Rei Eduardo I no Antigo Principado de Gwynedd. Encontra-se classificado como um listed building com o Grau I desde 23 de setembro de 1950.

Castelo de Windsor – Inglaterra

castelos3

Quem nunca ouviu falar do Castelo de Windsor? Localizado no condado inglês de Berkshire, o Castelo de Windsor é um dos castelos mais perfeitamente preservados do mundo. Claro, os famosos guardas que não se movem também estão presentes ali. Melhor ainda, o castelo fica em uma pitoresca cidadezinha com tudo “pitorescamente inglês” para ser encontrado ali.

Castelo de Hunyad – Romênia

castelos4

Agora localizado em Hunedoara, Romênia, o Castelo Hunyad era parte do Principado da Transilvânia, e acredita-se ser o lugar onde Vlad III da Valáquia (vulgarmente conhecido como Drácula) foi mantido prisioneiro por 7 anos depois que ele foi deposto em 1462. O castelo é uma relíquia da dinastia Hunyadi. Foi construído em estilo gótico, mas tem estilo barroco e renascentista elementos arquitetônicos. É um edifício grande e imponente, com telhados altos e diversamente coloridos, torres e uma miríade de janelas e varandas enfeitadas com esculturas em pedra.

Castelo de Predjama – Eslovênia

castelos5

Predjama Castle (esloveno: Predjamski grad ou Grad Predjama é um castelo renascentista construído dentro de uma boca da caverna no centro-sul da Eslovénia, na histórica região de Inner Carniola.

Castelo de Hohensalzburg – Áustria

castelos6

A Fortaleza de Hohensalzburg (Festung Hohensalzburg em alemão) é um castelo localizado na cidade de Salzburgo, Áustria, no topo do Festungsberg. Com um comprimento de 250 metros e uma largura de 150 metros, é um dos maiores castelos medievais na Europa.

Monte Saint-Michel – França

castelos7

O Monte Saint-Michel (francês Mont Saint-Michel) é um ilhote rochoso na foz do Rio Couesnon, no departamento da Mancha, na França, onde foi construído uma abadia (abadia do Monte Saint-Michel) e santuário em homenagem ao arcanjo São Miguel. Seu antigo nome é “Monte Saint-Michel em perigo do mar” (Mons Sancti Michaeli in periculo mari). Este mosteiro, fortificado no século XIII, integra um conjunto com mais três cidades cujas fortificações e desenvolvimento são notáveis: Aigues-Mortes (1270-1276), ponto de reunião dos Cruzados rumo à Terra Santa, Carcassone, célebre por suas defesas, e Avinhão, sede alternativa da Cristandade (1309-1377). Estas cidades fortificadas, denominadas “bastides” marcavam a fronteira dos reinos ao final da Idade Média, servindo como elementos de defesa e dando ao povo novas oportunidades sociais. Foram construídas mais de 300 só na França, entre os anos de 1220 e 1350. Além das “bastides”, foram projetadas e construídas em toda a Europa, de Portugal à Polônia, e nomeadamente no sudoeste da França, entre 1136 e 1270 aproximadamente, numerosas “villeneuves” (cidades novas), que muito contribuíram para o nascimento e consolidação de uma classe social burguesa.
Lembra um pouquinho o castelo da abertura dos desenhos da Disney, né?

Castelo de Eltz – Alemanha

castelos8

O Castelo de Eltz (em alemão Burg Eltz), situado por trás de Wierschem, nas proximidades da cidade de Münstermaifeld, no Estado da Renânia-Palatinado, é um dos mais belos castelos da Alemanha. Está situado no vale do Elz, na separação de Maifeld com a frente do Eifel. Juntamente com o Schloss Bürresheim, o Burg Eltz é a única construção na região Maifeld-Eifel que nunca foi capturada ou destruída, tendo sobrevivido intacto às guerras dos séculos XVII e XVIII, assim como às convulsões sociais causadas pela revolução francesa.

Castelo de Lincoln – Inglaterra

castelos9

Fica em Lincolnshire e foi construído em 1068. Tal como acontece com muitos outros castelos europeus, esse castelo é rico em história, mas se distingue dos outros por ser um dos únicos dois castelos do país que foram originalmente construídos em dois mottes (montes de terra largos e nivelados, geralmente com 50 pés de altura). Além disso, o Castelo de Lincoln costumava ser a casa de William, o Conquistador.

Castelo Dalian – China

castelos10

Castelo bávaro na cidade de  Dalian (大连 em chinês) é uma cidade da China, no sul da província de Liaoning. Tem cerca de 5.6 milhões de habitantes. Incorpora Lüshun, a antiga Porto Artur. Ocupada pelos russos entre 1898 e 1905, pelos japoneses entre 1905 e 1945 e pela União Soviética de 1945 a 1955. Hoje o Castelo é um hotel de luxo.


 

E então, o que acharam desses dez castelos que separei para vocês?

26.06.2014

Castelos pelo mundo #1

Princesa da Disney e amante de histórias de batalhas medievais que sou, noite passada sonhei que viajava com meu namorado pelo mundo para conhecer Castelos.
Decidi pesquisar além dos que conheço e dividir com vocês em três posts.

Castelo de Kyrenia – Chipre

castelos1

Cirênia – português brasileiro ou em grego: Κερύνεια; transl.: Kerýneia ou Kyrénia; é uma cidade no litoral do Chipre, destacada pelos seus históricos baía e castelo. Internacionalmente reconhecida como parte da República do Chipre, Cirénia está ocupada pelos turcos desde a invasão turca do Chipre em 1974. No passado era habitada sobretudo por gregos cipriotas, e actualmente a população de Cirénia é formada na sua maior parte por turcos cipriotas e colonos que vieram da Turquia.

Castelo de Eger – Hungria

castelos2

O Castelo de Eger é uma das mais populares atrações turísticas da Hungria e uma visita a ele vale muito a pena. O castelo fica a mais ou menos 90 minutos de trem de Budapeste. O castelo remonta ao século XIII e é famoso por ter impedido a invasão do exército turco em massa em 1552. Há quatro excelentes museus no castelo, bem como outras exposições interessantes.

Castelo de Peles – Romênia

castelos3

Conhecido como um dos mais belos castelos da Europa, o Castelo de Peles pode ser descoberto nas majestosas Montanhas dos Cárpatos, perto da cidade de Sinaia, na Romênia. São 168 quartos no castelo, e apenas 35 são acessíveis ao público. Recomenda-se visitar as salas de Holul de Onoare, Sala Mare De Arme, Sala De Teatru e Salonul Turcesc. Infelizmente, visitas guiadas estão disponíveis apenas no piso térreo e nos primeiros andares. É realmente um destino imperdível na Romênia.

O Palácio de Versalhes – França

castelos4

Em francês: Château de Versailles é um castelo real localizado na cidade de Versalhes, uma aldeia rural à época de sua construção, mas atualmente um subúrbio de Paris. Desde 1682, quando Luís XIV se mudou de Paris, até a família Real ser forçada a voltar à capital em 1789, a Corte de Versalhes foi o centro do poder do Antigo Regime na França.
Considerado um dos maiores do mundo, o Palácio de Versalhes possui 2.153 janelas, 67 escadas, 352 chaminés, 700 quartos, 1.250 lareiras e 700 hectares de parque. É um dos pontos turísticos mais visitados de França e recebe em média oito milhões de turistas por ano, fica a três quarteirões da estação ferroviária. Construído pelo rei Luís XIV, o “Rei Sol”, a partir de 1664, foi por mais de um século modelo de residência real na Europa, e por muitas vezes foi copiado.

Castelo Howard – Inglaterra

castelos5

Castle Howard é um palácio rural inglês situado no condado de North Yorkshire, a 25 milhas (40 km) a norte de York. É uma das grandes residências privadas do país. A maior parte do edifício foi construída entre 1699 e 1712 para Charles Howard, 3º Conde de Carlisle, segundo um desenho de Sir John Vanbrugh. Não é um verdadeiro castelo: o termo é usado frequentemente para designar casas de campo construídas na Inglaterra depois da Era dos castelos (cerca de 1500) sem intenção de terem qualquer função militar. Tem sido a residência da Família Howard desde há mais de 300 anos. Atualmente, faz parte do grupo de patrimônio “Treasure Houses of England” (Casas Tesouro da Inglaterra). O palácio também está listado com o Grau I dos monumentos britânicos, e na propriedade existem muitas outras estruturas igualmente listadas, embora muitas delas estejam no “Buildings at Risk Register” (Registo dos Edifícios em Risco).

Castelo Chambord, Loir-et-Cher – França

castelos6

O Real Château de Chambord é um palácio da França localizado em Chambord. É um dos mais conhecidos castelos do mundo devido à sua distinta arquitetura em estilo Renascentista francês que combina as formas medievais francesas tradicionais com as estruturas clássicas italianas. Embora seja o maior palácio do vale do rio Loire, foi construído apenas para servir de pavilhão de caça para Francisco I de França, que mantinha a sua residência no Château de Blois e no Château d’Amboise. O projeto original do Château de Chambord é atribuído, apesar de várias dúvidas, a Domenico da Cortona, cujos modelos de madeira sobreviveram tempo suficiente para serem traçados por André Félibien, no século XVII. Alguns autores, de qualquer forma, afirmam que o arquiteto renascentista francês Philibert Delorme teve um papel considerável no desenho do palácio. Chambord foi alterado consideravelmente ao longo dos vinte anos que durou a sua construção (15193 ‑ 1547), período durante o qual foi supervisionado in loco por Pierre Neveu.

Castelo Ksiaz – Polônia

castelos7

Também conhecido como a Pérola da Baixa Silésia, o Castelo Ksiaz foi construído no século XIII por Bolko I (segundo filho de Boleslau II, o Calvo). O castelo foi destruído e reconstruído diversas vezes ao longo dos anos. Foi uma vez confiscado pelos nazistas e, em seguida, ocupado pelo Exército Vermelho. Visitas guiadas ao castelo para grupos e turistas individuais ficam disponíveis apenas na primavera e no verão.

Castelo de Praga – República Tcheca

castelos8

Pražský hrad está localizado em Praga, capital e maior cidade da República Checa.

O castelo de Praga, na verdade uma pequena cidade, tem vários pontos abertos à visitação. O núcleo inicial do castelo é uma visita muito interessante, pois na verdade é formado por três castelos independentes, sobrepostos. Cada camada foi construída numa época diferente. Infelizmente não resta muito das camadas mais antigas, mas ainda assim, o que pode ser visto ilustra bem a história e o estilo de sua época.
Gente, olha essa vista á noite! Me sinto uma lady!

Castelo de Bran – Romênia

castelos9

Está localizado próximo de Bran (na vizinhança da cidade de Brasov, no condado com o mesmo nome), é um monumento nacional e marco histórico da Romênia. A fortaleza situa-se na fronteira entre a Transilvânia e a Valáquia, pela estrada 73, encravado na floresta no sopé dos Cárpatos. Conhecido habitualmente como o “Castelo do Drácula”, é promovido como a residência da personagem que dá título ao Drácula de Bram Stoker, obra que conduziu à persistência do mito de que este castelo terá servido, em tempos, de residência ao Príncipe Vlad Tepes, governador da Valáquia. Atualmente, o castelo alberga um museu aberto ao público, exibindo peças de arte e mobiliário colecionados pela Rainha Maria. Os turistas podem ver o interior em visitas livres ou guiadas. Ao fundo da colina situa-se um pequeno parque museu ao ar livre, o qual exibe estruturas camponesas tradicionais da Roménia, como cabanas e celeiros, representando todo o país.

Castelo Frankenstein – Alemanha

castelos10

Os relatos mais antigos referentes a este castelo dão conta de que provavelmente foi construído pela família “Von Frankenstein”.
O alquimista Johann Conrad Dippel (1673-1734) residiu neste castelo, sendo-lhe atribuída, por uma tradição local, a destruição da torre por uma violenta explosão, fruto do manuseio de nitroglicerina, após o que teria sido expulso da região pela população enfurecida.

Outra lenda pretende que Dippel desenvolvia pesquisas com cadáveres, na tentativa de trazê-los de volta à vida, e que algumas vezes assinava o seu nome nos cadáveres como “von Frankenstein”, mesmo não sendo descendente da família. Mary Shelley (1797-1851) esteve com a família na região alguns meses antes de escrever a obra que a eternizaria, “Frankenstein”. Acredita-se que tenha ouvido este folclore e nele se inspirado para criar o enredo da obra, embora jamais tenha feito menção a isso. A planta do castelo Frankenstein foi a base para a construção do Castelo dos Jansen.

E então, o que acharam dos dez primeiros castelos que separei para vocês?

Página 4 de 41234
Translate »