22.06.2014

6 alimentos para serem ingeridos sem culpa no inverno

Ah… Domingo á noite. Você pensando em como resolver essa fome absurda – juntamente com o tédio – que aumenta no inverno…

Tenho aqui SEIS alimentos que são ótimos para serem ingeridos sem culpa no inverno.
Esses alimentos, além da função de nutrição, fornecem outros benefícios à saúde.

  • Azeite de oliva: O óleo extraído das olivas é rico em gorduras monoinsaturadas e polifenois, que são imbatíveis contra a síndrome metabólica. Incrementar a dieta com este ingrediente é, portanto, uma deliciosa maneira de ter mais saúde, principalmente cardíaca.
  • Ovo: É um alimento rico em vitamina E, essencial para melhor absorção das vitaminas A e D. Auxilia na proteção das membranas das células contra substâncias tóxicas que podem causar danos às estruturas das células e, dessa forma, desencadear doenças. Além disso, também possui aminoácidos que estão relacionados com a produção de anticorpos. Pode ser usado cozido, mexido, ou na forma de omelete, fornecendo saciedade e proporcionando uma refeição rica em proteínas.

ovos

  • Aveia: Auxilia o sistema imunológico a se manter ativo, algo importantíssimo durante a estação mais fria do ano. É também rica em fibras solúveis, do tipo que “limpam” as artérias do corpo e ajudam a reduzir taxas do colesterol ruim (LDL). Pode ser classificada como um verdadeiro coquetel mineral por conter cálcio, ferro, potássio, sódio, fósforo, selênio e zinco. O farelo de aveia é a forma mais nutritiva de ingerir o alimento, que pode ser adicionado a frutas, iogurtes e vitaminas, além de preparações salgadas, como sopas e saladas.
  • Batata-doce: Por ter um baixo índice glicêmico, ela pode entrar na alimentação sem causar prejuízo na balança. A batata doce se presta muito bem para substituir carboidratos simples, como pães e bolos, que são tão solicitados no inverno.

Chocolate amargo: Pesquisas apontam que os flavonoides do cacau trazem benefícios à circulação sanguínea no cérebro. Além disso, a epicatequina, uma substância encontrada no cacau e, por extensão, no chocolate amargo , pode, juntamente com exercícios físicos, estimular a memória. O uso de cacau em pó sobre as frutas aquecidas dá um toque especial em um simples lanchinho da tarde.

► Vinho tinto: Os estudos em relação ao vinho tinto e a saúde humana são consensuais. O resveratrol, substância presente no vinho tinto, traz benefícios na prevenção de doenças cardíacas e dislipidemias. É claro que a moderação deve ser lembrada sempre. Um cálice de vinho tinto para mulheres e até dois para homens já traz a dose recomendada de resveratrol.
Gostou ou ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário
22.06.2014

Cheirinho de café pra começar o dia

café01

Estudos indicam a ação do café no sistema límbico, afastando a depressão e produzindo sensação de prazer e bem estar.

Café e osteoporose: o consumo moderado de cafeína não possui relação com a osteoporose, mas o consumo exagerado deve ser evitado por pessoas idosas e mulheres na menopausa. Doses acima de 500 mg diários de cafeína (equivalente a 150ml de café coado e 100 ml de café expresso) pode contribuir para a ocorrência de osteoporose, mas apenas nas mulheres que consomem uma quantidade inferior a 800 mg de cálcio na dieta.

Problemas digestivos relacionados ao café: no caso de indivíduos com gastrite ou úlcera, cuidado, pois a cafeína em excesso estimula a acidez gástrica. Além disso, a cafeína em excesso também pode estar relacionada com o aumento dos níveis de pressão arterial e arritmias, devido a sua ação estimulante. Lembre-se que a cafeína também é encontrada no chá mate, chá preto, chocolate e bebidas à base de cola.

Café e emagrecimento: a ação antioxidante do café devido à presença de cafeína e polifenóis, tem sido amplamente estudada; sua ação é inibir a peroxidação lipídica causada pelos radicais livres (que podem aumentar os níveis do mau colesterol – LDL). Há relatos de que estes radicais livres estão presentes somente no café torrado e não nos grãos e também presentes no modo de preparo do café – instantâneo ou coado. A cafeína, além da ação antioxidante, também age como estimulante, aumentando o metabolismo e ajudando na queima de calorias.

Café e atividade física: A cafeína tem sido considerada uma substância de auxílio ergogênico, ou seja, que potencializa a performance durante a atividade física, atuando como estimulante do sistema nervoso, aumentando a tensão dos músculos e ajudando na mobilização de substratos de energia para o trabalho muscular.

Ciência da cafeína

cafeína é o estimulante legal mais utilizado no mundo. Ela estimula, dá energia e torna-te mais alerta. Para entender como a cafeína afeta o seu corpo, temos de estudar a ciência da cafeína. Quando você toma cafeína, ele dispara a secreção das hormonas do stress, como quando você tem que lidar com um perigo repentino.

O que se segue é a reação do corpo as hormonas de stress elevado:

  • Pupilas dilatam para aumentar a acuidade visual.
  • Os brônquios dilatam para aumentar a disponibilidade de oxigénio.
  • O fígado liberta açúcares e gorduras no sangue para compensar o esforço para sobreviver.
  • As fibras musculares, ficam prontas para movimentos rápidos.
  • Aumento da frequência cardíaca e pressão arterial para fornecimento de combustível para os músculos.
  • A circulação no sistema digestivo é reduzida para disponibilizar mais sangue para os músculos.
  • Pequenos vasos sanguíneos nas extremidades fazem mais sangue para os músculos.
  • Quando o seu corpo está num constante estado de alerta, os resultados podem ser devastadores.

Desvantagens do café:

  • A cafeína pode causar fortes oscilações da glicose no sangue, causando hipoglicemia (baixa de açúcar no sangue). Os sintomas incluem fraqueza, nervosismo, sudorese, tremores e palpitações cardíacas.
  • A cafeína pode aumentar a pressão arterial e o colesterol.
  • A cafeína pode afetar a produção de ácido clorídrico no estômago, causando uma má digestão. Ela está associada com risco aumentado de úlceras, refluxo ácido, e síndrome do intestino irritável.
  • A cafeína pode causar irritação na pele.
  • A cafeína pode ter um efeito prejudicial no corpo de equilíbrio cálcio-fósforo, que é associada com artrite e osteoporose (ossos porosos).
  • A cafeína pode piorar a sua síndrome pré-menstrual, e os sintomas da menopausa.
  • A cafeína pode afetar a qualidade do seu sono. O facto de você ter construído uma alta tolerância a cafeína não significa que a qualidade do seu sono não fique comprometida. A cafeína pode também agravar os sintomas de insonias, ataques de pânico e ansiedade.
  • A cafeína pode aumentar o risco de aborto espontâneo, malformações congénitas, tais como fenda palatina, e baixo peso à nascença em bébés. As mulheres grávidas devem evitar sempre a cafeína. A cafeína é uma droga estimulante que facilmente atravessa a placenta para o feto em desenvolvimento e também é transmitida através do leite materno.
  • Se você toma regularmente mais de 100 mg de cafeína (cerca de metade de um copo de café) por dia, provavelmente você está viciado em cafeína e pode ter alguns sintomas de abstinência, como dores de cabeça, fadiga, irritabilidade, dificuldade de concentração e rigidez muscular.
  • Beber café reduz o cálcio no organismo.
  • Dependendo do seu caso. Você deve beber café descafeinado, e em pequenas quantidades, ai irá sentir os benefícios do café descafeinado.
  • Se você beber café descafeinado, não se esqueça de usar um método não químico.
  • Se você utilizar uma máquina de café, os filtros de café, não devem ser filtros branqueados. Os brancos mais claros podem ser branqueados com cloro.

Benefícios do café para a Saúde:

Embora o café esteja associado a inúmeros riscos para a saúde, a pesquisa sugere também que apresenta uma série de benefícios para a saúde prestados a beber pelo menos duas chávenas por dia. A evidência indica que o café proporciona efeitos protetores para as seguintes doenças:

  • Cirrose hepática
  • Doença de Alzheimer
  • Asma (meu caso)
    O cancro do cólon
  • Diabetes tipo 2
  • Os cálculos biliares
  • Alguns tipos de dores de cabeça
  • A doença de Parkinson
  • Golpes

Tem também benefícios se um adolescente quiser tomar café para estudar. No entanto, se você bebe dois copos de café por dia, o seu corpo já está viciado à estimulação regular da cafeína. É afinal uma escolha pessoal para pesar os benefícios do consumo de café e os seus efeitos sobre os efeitos na saúde.

Apesar das muitas alegações de saúde, a cafeína é uma droga estimulante. A dependência regular da cafeína pode melhorar o desempenho, e salienta o corpo da mesma maneira que todas as tensões da vida.

O chá é uma boa alternativa porque tem menor teor de cafeína. O chá contém antioxidantes que ajudam a prevenir o cancro. O chá branco é menos processado e contém mais antioxidantes, seguido de chá verde e chá preto -para reduzir a cafeína no chá preto, deixe de molho por menos tempo ou mude para o chá verde ou branco.

O café não é o líquidos mais saudável para se beber, mas se você escolher beber café, compre a versão orgânica.

O que eu mudei:

No café, em si, nada mas estou pensando seriamente em experimentar essa versão orgânica.
Não sou viciada em café mas eu percebo a diferença do desempenho quando não começo o dia tomando um copo de café-com-leite.
A maior mudança no momento, é a troca do adoçante, pelo açúcar orgânico, como dito na matéria anterior.

Gostou ou ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário.

21.06.2014

As pessoas procuram doces mesmo depois de usar o adoçante

adocante
O adoçante é um produto que geralmente vem do petróleo ou de alguma reação química.
 
Os edulcorantes (adoçantes) são substâncias utilizadas na substituição da sacarose (açúcar) com maior poder de adoçar, com o objetivo de reduzir o valor calórico dos alimentos e bebidas dietéticas. São utilizados por indivíduos com diabetesobesidade ou pelos que querem controlar o peso.

A procura por produtos que substituíssem o açúcar foi motivada principalmente pelo aumento de doenças como diabetes e obesidade. Atualmente, os substitutos da sacarose estão sendo direcionados não apenas para o controle de doenças e obesidade, mas também para bloquear o desenvolvimento das cáries dentárias.

 
Existem edulcorantes naturais e artificiais denominados de nutritivos e não nutritivos:

– Nutritivos (que contém calorias): destacam-se a sacarose, o aspartame, a frutose, a glicose e os derivados de monossacarídeos (sorbitol, manitol, xilitol, eritritol) e os derivados de dissacarídeos (isomatitol, lactitol, matitol, tagatose, trelose).

Não nutritivos (que não contém calorias): correspondem à sacarina, ao acessulfame-k, à sucralose, ao neotame, ao alitame, à neoesferidina, à taumatina, ao ciclamato e o esteviosídio.

adocante 2
 
Adoçantes não garantem redução de calorias

A substituição do açúcar por edulcorantes não necessariamente garante redução de calorias, pois alguns produtos aumentam a quantidade de gordura na formulação, um exemplo são os chocolates dietéticos. Portanto, é imprescindível a leitura dos rótulos dos produtos. Trocar bebidas adoçadas com sacarose por edulcorantes reduz o valor calórico do alimento e menor estímulo à insulina, sendo indicado para o controle de peso e diabéticos. Adoçantes não engordam, pelo alto poder de adoçar são usados em pequenas quantidades, muitos não possuem valor calórico e os que possuem contribuem com baixo valor calórico.
Diferentes tipos de adoçantes
Divididos entre os tipos naturais e os artificiais, os adoçantes podem, sim, trazer benefícios à saúde, quando consumidos da maneira correta. Aqui algumas explicações de quais são as diferenças entre os principais adoçantes:
·         Acessulfame-K
É um edulcorante artificial derivado do ácido acético. “Não é metabolizado pelo organismo e possui sabor doce facilmente perceptível, até 200 vezes maior do que o do açúcar. Porém, em grandes doses, deixa gosto residual amargo. Não afeta a glicemia, não causa efeitos tóxicos ou cáries”, destaca Tatiana.
·         Aspartame
A substância é o resultado da combinação entre os aminoácidos fenilalanina e o ácido aspártico. “Tem sabor doce de até 200 vezes mais que o do açúcar e deixa sabor residual. Possui 4 calorias por grama. Segundo a Anvisa, a fenilalanina liberada pelo aspartame não representa risco à saúde, mas ele deve ser evitado por pacientes com fenilcetonúria, assim como todos os alimentos que possuem fenilalanina”, diz a nutricionista Tatiana.
Ela acrescenta que esse tipo de adoçante não deve ser levado ao fogo, mas pode ser usado em bebidas quentes. Serve bem como adoçante de mesa e pode ser adicionado a receitas de sobremesas frias e a produtos lácteos.
·         Sacarina
É um adoçante artificial derivado do petróleo. “Não é metabolizado pelo organismo e possui sabor residual amargo e metálico, devido às impurezas que contém. Tem poder adoçante 500 vezes maior que o do açúcar. Não possui calorias”, explica Tatiana Brizida.
Ainda de acordo com a profissional, seu consumo é liberado pela Anvisa e FDA (agência americana de controle de alimentos e remédios). No Canadá, é proibido devido a estudos que comprovam malefícios, como indução ao câncer.
·         Estévia
É extraído das folhas da Stévia Rebaudiana Bertoni, planta originária da América Latina. Não fermenta e nem causa cáries. “Apresenta sabor doce prolongado, com poder adoçante de 100 a 300 vezes maior do que o do açúcar. É estável em altas temperaturas”, diz a nutricionista Tatiana.
Ela acrescenta que qualquer pessoa pode consumir os adoçantes com 100% de estévia. Mas é importante observar, ainda de acordo com a profissional, que a maioria das marcas comercializa a estévia em associação com o ciclamato e a sacarina.
·         Xilitol
É um poliálcool encontrado em frutas, vegetais e cogumelos com ação anticariogênica. “Tem poder adoçante similar ao da sacarose. Possui valor calórico de 2,4 calorias por grama, e efeito laxativo com doses maiores que 60g por dia.
·         Frutose
É um tipo de açúcar extraído das frutas e do mel, sem reações químicas. Seu sabor doce é acentuado, sem deixar gosto residual, com poder adoçante 173 vezes maior que o do açúcar. Possui 4 calorias por grama. Quando aquecida, a frutose carameliza, dando liga às receitas, sem perder seu poder adoçante.
·         Sucralose
É obtido por meio do processo de inversão da molécula de sacarose. Não apresenta sabor residual amargo ou metálico, não causa cáries ou câncer e é atóxico. Não é metabolizado pelo organismo, sendo excretado pela urina. Tem sabor doce acentuado e não residual, poder adoçante de 400 a 800 vezes maior que o do açúcar. Não possui calorias e é resistente a altas temperaturas.
O que eu mudei:
Li essa notícia no metrô:
“Um pesquisador brasileiro da Universidade de Yale, nos Estados Unidos, descobriu que a troca do açúcar pelo adoçante pode funcionar como armadilha para o corpo e aumentar a vontade de comer doce.
De acordo com o estudo, a língua faz distinção entre o açúcar e o adoçante, mas o cérebro não. Isso ocorre pois os alimentos ricos em açúcar provocam sensação de prazer e liberação de dopamina no cérebro.
Com os adoçantes não provocam esse efeito, as pessoas buscam por doces mesmo depois de usar o adoçante.”
 
E decidi parar imediatamente o consumo de adoçante. Aqui em casa, todos são adeptos do costume porque minha avó tem diabetes e nos acostumamos a toma-lo.
Comecei a pesquisar sobre qual seria a ‘troca’ mais em conta –tanto pelo valor, quanto pela minha alimentação- e decidi começar a usar o açúcar orgânico.
Açúcar Orgânico – O diferencial é que a cana utilizada em sua fabricação é cultivada sem fertilizantes químicos. O açúcar orgânico utiliza processos apoiados na sustentabilidade do meio ambiente, desde o plantio até a etapa final. Suas características nutricionais se assemelham com as do açúcar mascavo. Portanto, apresenta uma quantidade maior de vitaminas e minerais em relação ao açúcar refinado.
 
 
Tem um mês que estou fazendo uso dele e minha vontade por doces diminuiu drasticamente.
Recomendo utilizar o açúcar orgânico até em receitas de doces!
Gostou ou ficou com alguma dúvida? Deixe seu comentário.
Página 234 de 237«1 ...230231232233234235236237Próximo
Translate »