27.08.2016

Sobre comentar em blogs e não fazer dieta pra casar

A Bela, não a Fera

A maioria do meu tempo útil uso para visitar blogs e ler coisas que me ajudem a criar um tipo de conteúdo mixando com o que acontece com a minha vida, e sem querer, acabo entrando em viagens mentais.

Analisando minhas últimas postagens, que me esforço em escrever 300 caracteres por post sem que seja cansativo para os leitores que vem aqui apenas para ‘retribuir a visita’.  Quando leio os comentários, chega aquela decepção de que a pessoa nem leu o post, simplesmente pegam uma palavra do título da postagem e adequam em 140 caracteres de comentário. Afinal, o importante é que eu retribua o comentário e gere um view no blog da pessoa, né nom?!

Sei que das visitas diárias, quem realmente lê o que eu escrevo são as pessoas que não deixam comentários ou fazem parte da bloguesfera. Não que eu me preocupe com comentários com teor importante para um debate crítico que enriquecerá conhecimento. 😏
A Bela, não a Fera“Eu tô ficando velha, eu tô ficando louca…” 😂😂😂

Nessas procuras do dia a dia, me deparei com um post que pulou na minha cara sem que eu tivesse pensado á respeito. Tava fuçando o blog da Ju Romano e esse link deu um grito, me sacudindo.

Noiva plus size Ju Ricci: “não quis emagrecer para casar”

Na minha cabeça, ainda não é muito real que EU VOU ME CASAR 👰💍 no mês que vem. Não terá nada de muito fenomenal além de ir ao cartório, e talvez, á noite ir beber com os bro do Antti, tavez seja por isso.

Mas o negócio é que eu não pensei em uma roupa pra usar e essa matéria me sacudiu de uma forma tão estranha.

É sério que tem pessoas que emagrecem pra certos ‘eventos‘ da vida, pra tirar umas fotos e se recordar pra sempre como estava linda naquele instante?! Já que depois disso, o ser humano tem a permissão de voltar a ser algo que não gostava e/ou é?! 

Consigo imaginar até a cena da senhora mulher, mostrando as fotos de quando mais nova e falando ‘como eu tava magra no meu casamento… Passei um mês sem comer carboidratos e fiz a dieta da Kin Kardashian…

Em momento nenhum pensei em emagrecer pra casar. Tipo… Whatafuck?!

Depois que eu me deparei com esse post, surpreendentemente algumas pessoas começaram a perguntar se eu tô de ‘dieta pré casamento’. Gente, socorre aqui, que não aguento.

Vou quotar a Ju Ricci lindamente:

“Eu sou gorda 364 dias do ano e no dia do meu casamento vou ser magra?!? PRA QUÊ?”

Entrei no assunto com o Antti e ele ficou com a mesma cara de Whatafuck que eu fiquei e complementou com ‘eu te amo como você é‘ 💘 – o que faz muito sentido já que ele me conheceu gorda. Não resisti em perguntar o que ele achava sobre essa ideia de fazer dieta pro dia do casamento, recebi a seguinte resposta: ‘ se você quer ficar mais magra, que seja pela sua saúde e pra poder correr comigo sem que seus joelhos doam mas isso não é uma obrigação.

Não sei o que acontece que mesmo com tanta informação que temos acesso no dia de hoje, mulheres adultas ainda caiam no erro de tentar seguir o que a mídia quer: emagreça pra casar ou sei lá, perder 20 kilos pós parto apenas com amamentação.

Essas coisas não fazem parte da minha realidade e eu tenho certeza que não faz parte de muitas outras mulheres.

Por quê diabos vocês se martirizam tanto?! Pro boy que não é. É pra mostrar pros seus amigos do facebook? É pra provar pra si mesma que estava linda naquele momento?

A Bela, não a FeraAh, e as fotos foram geradas em um processo ‘vou fazer fotos do look mas deu tudo errado então só vou rir.’A Bela, não a Fera Pra não dizer que sou ruim, aqui tá a minha melhor foto do look. 

Como eu disse no começo, é uma daquelas viagens que você encara enquanto tá visitando mais de 100 blogs por dia e porque me sinto tão 💗 em dividir essas coisas aqui no blog, mesmo que ninguém leia até o fim 😉.

A intenção desses vários posts sobre ser gorda e a guerra contra a balança são para voltar com a temática inicial do A Bela, não a Fera. Existem muitos blogs que falam a respeito de um jeito mais robotizado e eu gosto de trazer aqui num bate papo mais amor, pra se sentir conversando cazamigas, sabe?!

Pra quem chegou aqui em baixo e teve alguma experiência sobre emagrecer pra casar ou algum tipo de pressão gerada á respeito de emagrecimento para ser aceita em algo, gostaria muito que compartilhassem comigo 💗

BEDA 2016

03.08.2016

A individualidade do meu ser

 

A Bela, não a fera | Arquivo pessoalChega a ser assustador perceber o quanto melhorei o poder da minha mente e atitudes nesse tempo que estou viajando.

Aprendi a não ter reações depois de muito pensar. Sou um ser que tem uma OVEREACTION até pra escolher o sabor da cobertura do waffles. Não pensar muito faz com que algumas decisões acabem sendo tomadas de formas controversas da possível decisão pensada.

Também aprendi a deixar ir. Desde a primeira vez que tive um relacionamento amoroso, eu prendia a pessoa de forma como se  fosse algo conquistado por mim. É culpa do meu signo cof cof. Sou ciumenta e o negócio pira por causa da depressão.

Tenho tomado ações contradizendo o que meu cérebro quer. Depois repenso e vejo que foi a melhor decisão.

Esses dias, por exemplo, eu não estava me sentindo muito bem, com tpm e aquela sensação de a qualquer minuto eu cometeria uma chacina. O boy falou que os amigos chamaram pra jogar frisbee golf e eu disse que não queria ir, que ele podia ir sem peso na consciência e que eu ficaria assistindo filme.A Bela, não a fera | Arquivo pessoal

Se fosse a Bela que pensa em tudo, faria aquele drama pedindo pra ficar em casa por causa de um mimimi. O mais surpreendente é que ele respondeu ‘não parece certo eu ir sem você. Nós temos feito tudo juntos, desde que você chegou…’ e eu fiquei toda boba! Esperava só um ‘ volto maia tarde’ haah. Pedi pra ele ir  mesmo assim e expliquei que ele não poderia perder a individualidade.

Um tempinho depois ele ligou falando que os amigos dele perguntaram se eu não queria sair um pouco com eles, e o boy reforçou que não tava se sentindo bem sem mim.

Esse lance dos amigos dele serem meus amigos é o máximo. O que é chato pra caralho é que eles não se esforçam muito em conversar em inglês, então eu fico viajando na maionese na maior parte do tempo. A cada duas horas, alguém lembra de perguntar algo pra mim.

Tenho pavor de perder minha individualidade e não desejo que isso aconteça com o Antti por eu estar um pouco dependente dele enquanto não conheço ninguém aqui e a língua inglesa não ser a materna.

GrazaDeus to mais madura. GrazaDeus que me preparou pra essa viagem.

Estou muito orgulhosa do ser que tenho me tornado e melhorado a cada dia.

Esse não é um textão com um romance ou crônica mas um desabafo por que realmente me sinto bem dividindo essas coisas com vocês 

BEDA 2016

08.01.2016

Viagem, amigos, festas de final de ano + Super UNBOXING NerdLoot #4

Férias A Bela, não a Fera

“Que título grande, Bela!” 

Não teria outra forma de começar de verdade as postagens de 2016– as que estavam rolando até agora, eu tinha deixado programadas… Surprise, surprise! 

Muitas meninas perceberam que não fiz postagens sobre Natal e Ano Novo e agora vou explicar por quê:

  • Não comemoro o Natal – não sou de uma religião que acredite em Jesus Cristo mas respeito, não levo a sério uma festa consumista e que as pessoas se embebedam loucamente.
  • Não comemoro o Ano Novo em 01 de janeiro – não sigo o calendário Gregoriano/Romano, migs. Sigo o meu calendário, ou seja, o Ano Novo começa em 04 de maio: meu aniversário.

Aproveitei o embalo e o convite de uma amiga a passar uns dias na praia com ela e sua família e fui lindamente. Foram praticamente 10 dias indo em uma praia diferente, após as 16 horas – O QUE FEZ COM QUE APROVEITASSE O PÔR DO SOL E APROVEITE A ÁGUA GELADINHA DA NOITE.

A Bela não a Fera - Praia Toque Toque Grande

Vai ter foto divando G mesmo. 

A Bela, não a Fera blog A Bela, não a Fera blog

Depois fiquei 5 diazinhos no apartamento do meu pai, o ap que eu nasci e que vivi 4 meses no ano de 2005.

COMO ASSIM VOCÊ É CAIÇARA, BELA?!!!”

Acreditem, eu amo tanto praia que sempre achei que quem nascia em Caraguatatuba fosse… Caiçara. E DESCOBRI QUE É CARAGUATATUBENSE. Deal with dat.

E aí bate aquela depressão de voltar por que pela primeira vez, consegui curtir dias na praia. De verdade, sempre odiei mas por causa daqueles rolês de família de ficar o DIA-INTEIRO-NA-PRAIA torrando e comendo coisas ruins.

Mesmo com a depre de voltar pra cidade grande, consegui estipular que quero ter minha velhice no litoral. E criar meus filhos por lá também –se é que um dia terei filhos lol.

Voltei linda, Bela e dourada, já que o vermelho virou uma cor estranha e não estou mais parecendo uma diva nórdica HHAHAHA

Vocês notarão pela minha cara cansada e o cabelo molhado que gravei o vídeo assim que cheguei em casa.

E as férias de vocês? Dividam comigo!

Página 3 de 512345
Translate »